Quase 5 milhões de crianças precisarão de assistência humanitária no Sahel em 2020
BR

28 janeiro 2020

Segundo informações do Unicef, aumento da violência é a principal causa; Burkina Fasso, Mali e Níger são os países mais afetados; agência precisa de US$ 208 milhões para resposta humanitária. 

O número de crianças que carecem de assistência humanitária em Burkina Fasso, Mali e Níger subirá para 5 milhões durante o ano de 2020. O cálculo é do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

Neste momento, 4,3 milhões meninos e meninas precisam de ajuda nestes países do Sahel. Segundo o Unicef, a principal causa é uma onda de violência que incluiu sequestros e recrutamento de crianças para grupos armados.

Família no Burkina Fasso, afetada por insegurança alimentar, Ocha/Otto Bakano

Escalada

Em nota, a diretora regional do Unicef para a África Ocidental e Central, Marie-Pierre Poirier, afirmou que a escala da violência é impressionante. Poirier disse que crianças “estão sendo mortas, mutiladas e abusadas ​​sexualmente.”

O número de ataques contra menores aumentou no ano passado. No Mali, por exemplo, foram registradas 571 violações graves durante os três primeiros nove meses de 2019. No mesmo período em 2018, tinham ocorrido 544 casos e, um ano antes, 386.

Pedido

Desde o início de 2019, mais de 670 mil crianças em toda a região foram forçadas a deixar suas casas por causa de conflitos armados e insegurança. A diretora regional do Unicef disse que estas crianças “precisam urgentemente de proteção e apoio."

O Unicef está pedindo que governos, Forças Armadas, grupos armados e outras partes parem os ataques que afetam crianças, sobretudo a áreas residenciais, escolas e centros de saúde. A agência também está pedindo acesso a todos os afetados e que o acesso aos serviços sociais seja protegido.

Segundo Marie-Pierre Poirier, esses serviços são “a base da coesão social e contribuem para a prevenção de conflitos.”

Educação

O aumento da violência tem efeitos arrasadores na educação. No final de 2019, mais de 3,3 mil escolas estavam fechadas, afetando 650 mil crianças e 16 mil professores. Esse número representa um aumento de seis vezes desde abril de 2017.

Segundo a agência, existem grandes barreiras para as famílias obterem serviços básicos como alimentação. Na região do Sahel central, mais de 709 mil crianças com menos de cinco anos devem sofrer desnutrição aguda em 2020.

O acesso à água potável também está diminuindo. Em Burkina Fasso, por exemplo, a disponibilidade deste recurso caiu 10% no ano passado. Em algumas áreas, a queda foi de 40%.

Em 2020, o Unicef precisa de US$ 208 milhões para realizar a sua resposta humanitária no Sahel Central.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Segurança no Mali e Sahel piora a ritmo alarmante, diz chefe de operações de paz

Jean-Pierre Lacroix falou ao Conselho de Segurança temas como terrorismo, acordo de paz, cooperação internacional e presença da ONU; subsecretário-geral diz que Missão da ONU no Mali, Minusma, carece de mais recursos para conter a violência.