Joe Biden destaca momento de “grande dor e possibilidade extraordinária”
BR

21 setembro 2021

Chefe de Estado dos EUA anuncia “nova era de diplomacia implacável”; discurso na ONU foca no retorno do país à mesa de fóruns internacionais como o Acordo de Paris sobre Mudança Climática e o Conselho de Direitos Humanos.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fez seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas destacando que este ano os líderes globais se encontram em momento de grande dor e possibilidade extraordinária.

O líder norte-americano ressaltou que grandes perdas que ocorreram durante a pandemia “continua tirando vidas e ameaçando a existência humana”.

Contextos

O estadista americano lembrou que mais de 4,5 milhões de pessoas de todas as nações e origens perderam a vida na crise, realçando que cada morte é um desgosto pessoal.

Biden disse que “os Estados Unidos não são os mesmos que eram quando foram atacados em 11 de setembro, há 20 anos.”
© Eric Ganz
Biden disse que “os Estados Unidos não são os mesmos que eram quando foram atacados em 11 de setembro, há 20 anos.”

 

Ele destacou que a dor compartilhada é um “lembrete comovente de que o futuro coletivo” dependerá da capacidade global de reconhecer a humanidade comum e de agir em conjunto.

Para Biden, o mundo transita de um período de guerra implacável, e está “abrindo uma nova era de diplomacia implacável".

Terrorismo

Em relação ao terrorismo, Biden disse que todos já viveram essa experiência e mencionou os ataques de agosto no aeroporto de Cabul. Pelo menos 13 americanos e quase 200 civis afegãos morreram.

Para Biden, os que cometem atos de terrorismo contra seu país continuarão encontrando um inimigo determinado.

Ele ressaltou que o mundo atual é diferente do de 2001, dizendo que “os Estados Unidos não são os mesmos que eram quando foram atacados em 11 de setembro, há 20 anos.”

Biden também disse que os EUA estão “de volta à mesa” de fóruns internacionais como o Acordo de Paris sobre Mudança Climática e o Conselho de Direitos Humanos da ONU
OMM/Injoo Hong
Biden também disse que os EUA estão “de volta à mesa” de fóruns internacionais como o Acordo de Paris sobre Mudança Climática e o Conselho de Direitos Humanos da ONU

De volta à mesa

Joe Biden destacou que agora o país está mais bem equipado “para detectar e prevenir ameaças terroristas mais resistentes e na capacidade de repeli-las e de responder a elas.”

Biden também disse que os EUA estão “de volta à mesa” de fóruns internacionais como o Acordo de Paris sobre Mudança Climática e o Conselho de Direitos Humanos da ONU. A administração do ex-presidente Trump retirou o país destes instrumentos multilaterais.

O presidente também falou das promessas do Estados Unidos de apoiar com bilhões de dólares o combate às mudanças climáticas e à fome, assim como a oferta de centenas de milhões de vacinas contra a Covid-19 para países durante a pandemia.

Farmácia em Astoria, Queens, durante o surto de Covid-19 na cidade de Nova York.
ONU/Evan Schneider
Farmácia em Astoria, Queens, durante o surto de Covid-19 na cidade de Nova York.

  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud