Equipes da ONU na América Central ajudam na resposta ao furacão Eta BR

Secretário-geral defende um avanço na adaptação e resiliência aumentando investimentos
NASA
Secretário-geral defende um avanço na adaptação e resiliência aumentando investimentos

Equipes da ONU na América Central ajudam na resposta ao furacão Eta

Clima e Meio Ambiente

Pelo menos 50 pessoas morreram em deslizamentos de terra na Guatemala e dezenas de milhares estão desabrigadas na região; após perder força, Eta ameaça enchentes em partes de Honduras, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, El Salvador e Guatemala.

Trabalhadores humanitários das Nações Unidas estão cooperando com autoridades da América Central para socorrer as vítimas do furacão Eta.

O furacão de categoria 4 atingiu a Nicarágua na terça-feira com ventos de até 225 km/h.

Avaliação

Nesta sexta-feira, o Eta perdeu força, mas continua causando fortes chuvas na maior parte da região.
Com a alta dos rios, existem chances de enchentes em partes de Honduras, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, El Salvador e Guatemala.

As equipes da ONU estão ajudando na resposta ao desastre natural e na avaliação dos estragos após a passagem do furacão.

Segundo o Escritório para Assistência Humanitária da ONU, Ocha, pelo menos 30 mil pessoas foram evacuadas na Nicarágua, onde se tenta resgatar agora os serviços básicos.

Agências de notícias informam que pelo menos 50 pessoas morreram durante deslizamentos de terra na Guatemala.

Em maio, milhares de pessoas em El Salvador perderam seus meios de subsistência como resultado da tempestade tropical Amanda.
PMA/David Fernandez
Em maio, milhares de pessoas em El Salvador perderam seus meios de subsistência como resultado da tempestade tropical Amanda.

Alerta vermelho

Já em Honduras, todo o país está em estado de alerta vermelho após 3,6 mil pessoas terem sido postas em abrigos de proteção da tempestade.

Uma hondurenha de 13 anos morreu quando uma das paredes do quarto em que dormia veio abaixo com as chuvas.

Há relatos de perda de vidas também em El Salvador, onde o governo está evacuando os moradores para abrigos de emergência. No Panamá mais de 600 pessoas foram retiradas das áreas inundadas pelo furacão Eta.

Na Costa Rica, várias regiões afetadas pelas fortes chuvas entram em estado de alerta laranja e vermelho.