OIM apoia nova campanha com jovens sobre riscos de migração irregular
BR

22 fevereiro 2020

Estudo sobre iniciativas no México e na América Central revela que aumentou consciência sobre a questão; atividades adaptadas a diversas realidades chegaram a mais de 36 mil jovens.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, disse que vai continuar apoiando iniciativas para aumentar a consciência sobre os riscos de migração irregular no México e em outros países da América Central.

Este ano, as campanhas deverão atingir milhares de jovens em 10 comunidades de países como México, Guatemala, El Salvador, Honduras, Costa Rica e Panamá.

Adolescentes deportados do México chegam ao abrigo de receção governamental "Nuestras Raices" ("Nossas Raízes", em português) em Quetzaltenango, Guatemala. Foto: Unicef/Tanya Bindra

Migrantes

Foram iniciativas realizadas na Ásia que inspiraram a campanha adaptada à realidade de cada país. No México, o nome foi Migrar Informados e o alvo foram migrantes da América Central que passam pelo país para que saibam como regularizar a situação migratória.

O foco foi incentivar os jovens a desenvolver um plano de vida, conhecendo as alternativas à migração irregular e entendendo os riscos. A campanha teve o nome Vá em Frente na Guatemala, Conecte-se com o seu Futuro em El Salvador e Planeje sua Vida em Honduras.

A iniciativa usou o processo da Comunicação para o Desenvolvimento, na qual as mensagens destacam a questão humanitária. Mais de 28 mil pessoas tiveram acesso ao conteúdo online e outras 8 mil em interações diretas onde a migração segura era abordada através de ações participativas e baseadas em casos reais.

Iniciativa

Numa amostra de 2 mil migrantes, a maioria dos jovens revelou ter sido mais informada sobre riscos envolvidos na migração irregular em comparação com aqueles que participaram de pesquisas feitas antes da agência da ONU apoiar a iniciativa.

Em Honduras, cerca de 42% das pessoas disseram que obtiveram mais conhecimento sobre a migração irregular. Na Guatemala, o aumento foi de 25%, no México cerca de 20% e El Salvador mais de 8%.

A OIM destaca que várias pessoas acreditam ser uma boa opção contratar os serviços de um contrabandista. Mas essa percepção reduziu em cerca de um quarto nos países do norte da América Central e 14% no México.

Os entrevistados relataram que sabem agora como se proteger de casos de extorsão e como viajar com um plano associado aos estudos ou ao trabalho.

OIM
Uma família de migrantes em um dos principais vídeos da campanha da OIM no México.

Alternativas

O diretor regional da OIM para a América Central, do Norte e Caribe, Marcelo Pisani, disse que é urgente encontrar alternativas para a migração irregular em países como Guatemala, Honduras e El Salvador.

O representante destacou que em 2019 estes países receberam quase 250 mil migrantes deportados ou retornados do México e dos Estados Unidos.

© Rafael Rodríguez / OIM
Caravana de migrantes da América Central passa por Chiapas, no México, a caminho dos Estados Unidos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Cidade do México prepara-se para banir plástico descartável até 2021

Proibição de sacolas plásticas foi anunciada em 1º de janeiro; capital gera 13 mil toneladas de lixo por dia; medida não é juridicamente obrigatória, mas clientes mexicanos estão cada vez mais interessados na proteção ambiental, disse um diretor de uma rede de varejos.

Unicef diz que 700 crianças migrantes estão isoladas no México, perto dos EUA

Crianças e famílias de migrantes aguardam resposta de solicitações de asilo na cidade de Matamoros, no nordeste mexicano; Unicef amplia acesso aos serviços de proteção, psicossociais, água e saneamento na área.