Pandemia mostra utilidade de pagamentos eletrônicos para pessoas de baixa renda
BR

24 junho 2020

Artigo do Fundo Monetário Internacional, FMI, diz que programas de transferência de renda beneficia cidadãos de países como Nigéria, Arábia Saudita, Equador, Malásia e Peru; e que após Covid-19, países devem pensar em estratégia a longo prazo desses serviços.

Milhões de trabalhadores do setor informal estão sendo beneficiados, em várias partes do mundo, por programas de assistência e transferência de renda durante o fechamento econômico causado pela crise da Covid-19.

Com as medidas de combate à doença, muitas pessoas em países de baixa renda ficaram sem sua fonte principal de sustento. 

Tecnologia

Por isso, vários governos tiveram que utilizar as chamadas fintechs, empresas de serviço financeiro inteiramente digitais, que usam a tecnologia móvel para transferências e pagamentos.

Num artigo, divulgado em sua página na internet, o Fundo Monetário Internacional, FMI, relatou a experiência do Togo. A nação do oeste da África conseguiu levar apoio financeiro, em duas semanas, a 500 mil pessoas utilizando apenas telefones celulares. O mesmo ocorre em Marrocos, Equador, Peru, Nigéria e Arábia Saudita.

Segundo o FMI, cerca de 30% das medidas adotadas para socorrer os cidadãos afetados pela pandemia baseiam-se em transferências de renda. O órgão internacional informa que o mundo conta com 228 empresas de dinheiro móvel para cada 100 mil adultos. A média de caixas eletrônicos e bancos para esse mesmo grupo é de 44.

IMF/Henrik Gschwindt de Gyor
Sede do FMI em Washington, nos Estados Unidos

Áreas rurais

Esse tipo de transferência também facilita àqueles cidadãos em áreas rurais ou os que não têm uma conta bancária. Em todo o mundo, 1,7 bilhão de pessoas não têm acesso formal a instituições financeiras.

O FMI conta que após a pandemia, o Equador dobrou em apenas 15 dias, o número de agentes licenciados no país, para fazer essas transações.  Já a Nigéria formalizou parcerias com operadoras de celulares para encontrar os trabalhadores informais. 

Na Arábia Saudita, o governo reduziu o preço das tarifas para esse tipo de pagamento. Mas o FMI alerta que esses serviços não estão livres de riscos e crimes por parte de ladrões e fraudadores na internet. 

Numa estratégia a longo prazo, a instituição financeira recomenda aos governos adotar um programa de transferência de renda móvel que atenda a todos de forma mais segura e sistemática.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

FMI aprova linha de US$ 12 milhões para São Tomé e Príncipe enfrentar pandemia

Ajuda de emergência quer remediar perdas para economia do país de língua portuguesa causadas pela covid-19; órgão também promoverá alívio temporário da dívida como parte de Fundo de Contenção de Catástrofe.

FMI prevê recessão global de 3% em 2020, maior descida desde Grande Depressão de 1929

Instituição anunciou previsões para economia global, revendo em baixa estimativas devido à pandemia de covid-19; em comparação, economia recuou 0,1% durante crise financeira de 2009; em Angola, economia deve cair 1,4%, no Brasil, 5,3% e em Portugal 8%.