Chefe da ONU visita as Bahamas após passagem do furacão Dorian
BR

13 setembro 2019

Secretário-geral quer prestar solidariedade a cidadãos e governo no arquipélago; António Guterres também quer aumentar a consciência da comunidade internacional para aumentar o apoio na recuperação.

O secretário-geral, António Guterres, visita esta sexta-feira e sábado as Bahamas para expressar solidariedade ao povo e ao governo, duas semanas após a passagem do furacão Dorian. Segundo as Nações Unidas, o chefe da ONU também vai oferecer o apoio da organização na recuperação do país.

De acordo com agências de notícias, na segunda-feira o número de mortos confirmados aumentou para 50 e 1.300 pessoas ainda continuam desaparecidas em todo o arquipélago caribenho.

Falando a jornalistas, antes de partir de Nova Iorque, Guterres disse que além de prestar solidariedade às vítimas “há um objetivo de conscientizar a comunidade internacional para aumentar o apoio ao povo e ao governo” na situação atual.

Segundo as Nações Unidas, o chefe da ONU também vai oferecer o apoio da organização na recuperação do país. Foto ONU/ Manuel Elias

Ilustração

O secretário-geral disse que, ao mesmo tempo, a visita é uma ilustração clara que acrescentando o caso das Bahamas ao que aconteceu em Moçambique, à seca no Sahel, aos incêndios na Amazônia ou no Ártico, ao derretimento das geleiras, ao branqueamento de corais, tudo demonstra o que tem acontecido recentemente. Ele destacou que as mudanças climáticas estão ocorrendo mais rápido do que as ações humanas, e que é preciso ter uma abordagem muito mais ambiciosa nas ações para vencer o fenômeno.

Em Nassau, Guterres vai se encontrar com o primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, e com outros altos funcionários locais. Até sábado, a visita inclui pessoas afetadas pelo furacão e equipes humanitárias em ação nas várias partes.

O apoio que é dado ao governo pela ONU e por outras agências inclui a assistência às pessoas transferidas e o acesso diário aos que vivem nas áreas afetadas através de vários aeroportos e portos nacionais.

A organização já entregou mais de 405 mil comprimidos de purificação de água, seis tanques desmontáveis para armazenar milhares de litros e galões para uso das famílias.

Ilhas Ábaco

A Organização Internacional para as Migrações, OIM,  garantiu a entrega de mil kits de abrigo apoiada pela Agência norte-americana de Desenvolvimento Internacional, Usaid, e lonas para a área de Marsh Harbour, nas ilhas Ábaco.

Na região que foi a mais arrasada pelo desastre, o Programa Mundial de Alimentação, PMA,  prepara um centro de logística e suprimentos para facilitar a chegada, o armazenamento e o envio de material de socorro.

© UNICEF/Moreno Gonza
Benson Etienne, de quinze anos, e sua família escaparam do desabamento da casa onde moravam no Marsh Harbour, atingido pelo furacão, na ilha de Ábaco, nas Bahamas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Bahamas: furacão Dorian destruiu cerca de 90% das infraestruturas da ilha de Ábaco

Desafios de acesso atrasam trabalhos de salvamento nas áreas afetadas; PMA atua para cobrir necessidades mais urgentes e fornece apoio em alimentos, telecomunicações e logística.

Bahamas: ONU diz que “o tempo está passando” para ajudar quem perdeu tudo no furacão Dorian

Avião humanitário com 1,5 toneladas de suprimentos do Unicef chegou às Bahamas; estimativa é de que 18 mil crianças nas ilhas de Ábaco e Grand Bahama tenham sido afetadas pelo furacão Dorian.