Bahamas: furacão Dorian destruiu cerca de 90% das infraestruturas da ilha de Ábaco BR

A Guarda Costeira dos Estados Unidos tem apoiado os esforços de resposta nas Bahamas após o furacão Dorian.
Distrito 7 da Guarda Costeira dos EUA
A Guarda Costeira dos Estados Unidos tem apoiado os esforços de resposta nas Bahamas após o furacão Dorian.

Bahamas: furacão Dorian destruiu cerca de 90% das infraestruturas da ilha de Ábaco

Ajuda humanitária

Desafios de acesso atrasam trabalhos de salvamento nas áreas afetadas; PMA atua para cobrir necessidades mais urgentes e fornece apoio em alimentos, telecomunicações e logística.

Especialistas das Nações Unidas acompanham as ações do Governo das Bahamas, que já transferiu cerca de 5 mil pessoas das ilhas afetadas pelo furacão Dorian que assolou a região há cerca de 10 dias.

A tempestade destruiu cerca de 90% das infraestruturas na ilha de Ábaco, a mais afetada. Agências de notícias informaram que a tempestade provocou 50 mortes confirmadas em todo o arquipélago caribenho.

Nas Bahamas, furacão Dorian provocou 50 mortes confirmados, e 1.300 pessoas continuam desaparecidas.
A Guarda Costeira dos EUA apoia os esforços de resposta nas Bahamas após o furacão Dorian. Foto: Guarda Costeira dos EUA - Distrito 7

Tempestade

Aeronaves, barcos militares e civis tentam chegar às áreas isoladas com o apoio de  equipes de avaliação, que contam com peritos do Programa Mundial de Alimentação, PMA.

Após o acesso a algumas regiões das ilhas Grand Bahama e Ábaco, esses grupos destacaram que chegar às outras áreas afetadas continua sendo uma grande dificuldade.

A agência da ONU enviou 15 especialistas que atuam nos esforços de resposta a esta emergência na sequência do que já é conhecido como o pior furacão a atingir as ilhas.

Emergências

A Agência de Gerenciamento de Emergências em Desastres do Caribe, Cdema, a Agência Nacional de Gerenciamento de Emergências, Nema, e parceiros identificam as necessidades mais urgentes e fornecem apoio em alimentos, telecomunicações e logística.

O PMA entregou unidades de reserva, geradores, escritórios pré-fabricados e equipamentos de telecomunicações por satélite ao centro de logística da Ilha de Ábaco. Esse local deverá facilitar a chegada, o armazenamento e o envio de material de socorro.

A expectativa da agência é terminar a configuração das telecomunicações por satélite para restaurar a conectividade no porto de Marsh Harbour e no aeroporto para apoiar funcionários humanitários na resposta de emergência.

Mais de 1,5 mil refeições prontas para consumir e outros alimentos já foram entregues aos  afetados que vivem em áreas de difícil acesso. Dois navios descarregaram 13,8 mil refeições prontas a consumir e material de ajuda proveniente de diferentes parceiros.

As avaliações recentes indicam que as necessidades alimentares imediatas “já foram amplamente atendidas”. Para o PMA, a nova fase vai priorizar o apoio nas áreas logística e de telecomunicações.

Benson Etienne, de quinze anos, e sua família escaparam do desabamento da casa onde moravam no Marsh Harbour, atingido pelo furacão, na ilha de Ábaco, nas Bahamas.
© UNICEF/Moreno Gonza
Benson Etienne, de quinze anos, e sua família escaparam do desabamento da casa onde moravam no Marsh Harbour, atingido pelo furacão, na ilha de Ábaco, nas Bahamas.