Chefe da OMS visita Bahamas e pede mais ajuda para vítimas do furacão
BR

2 outubro 2019

Tedros Ghebreyesus disse que é preciso investir mais em estruturas resilientes à mudança climática após ver de perto a destruição causada pelo furacão Dorian; centenas de pessoas desapareceram após desastre natural em 1º de setembro.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, OMS, apelou ao mundo que se una em torno das Bahamas diante das “trágicas consequências do furacão Dorian”.

O desastre atingiu o país em 1º de setembro afetando 75 mil pessoas. De acordo com a ONU, cerca de 1,5 mil vítimas ainda se encontram em abrigos e outras 600 continuam desaparecidas. Até o momento, 56 mortes foram confirmadas.

Diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus. Foto: ONU/Daniel Johnson

Serviços

No fim da visita ao arquipélago, Tedros Ghebreyesus disse que o fenômeno “não só custou muitas vidas e meios de subsistência, mas causou graves danos à infraestrutura, privando comunidades de serviços básicos num momento crítico”.

Até esta quarta-feira, o chefe da OMS esteve em locais arrasados pelo furacão onde avaliou os impactos causados na saúde. Para Tedros, a tragédia é “um outro lembrete urgente” de que é preciso tratar as causas da mudança climática.

Para Ghebreyesus, foi “comovente ver a devastação das comunidades e as famílias que perderam amigos e entes queridos como suas casas, bens e acesso aos serviços essenciais”.

Nas Bahamas, o chefe da OMS se reuniu com autoridades, incluindo o governador-geral. Ele elogiou a preparação, a prontidão e os esforços realizados para mitigar os danos.

O diretor-geral percorreu áreas das ilhas Ábaco e Grand Bahama com o ministro da Saúde, Duane Sands, onde observou os efeitos do desastre em famílias e na infraestrutura, incluindo instalações que foram completamente destruídas.  

Nessas regiões houve danos substanciais no setor de saúde após a destruição de equipamentos, suprimentos e infraestruturas incluindo de eletricidade e água.

A Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, enviou 20 funcionários e cinco equipes médicas internacionais de emergência para ajudar.

© UNICEF/Moreno Gonza
Benson Etienne, de quinze anos, e sua família escaparam do desabamento da casa onde moravam no Marsh Harbour, atingido pelo furacão, na ilha de Ábaco, nas Bahamas.

Recuperação

A OMS agradeceu a rápida atuação e reiterou que o apoio às Bahamas continuará durante o processo de recuperação do sistema de saúde.

A agência informou que seguirá trabalhando por um setor de saúde mais resiliente e para mitigar os efeitos das mudanças climáticas, especialmente nos pequenos Estados insulares em desenvolvimento.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Guterres nas Bahamas: “Nunca vi nada assim”

Secretário-geral terminou visita de dois dias aos locais afetados por furacão Dorian; Encontro de Cúpula de Ação Climática acontece em Nova Iorque a 23 de setembro.

Nas Bahamas, secretário-geral pede mais ação contra mudança climática

António Guterres visitou locais afetados por furacão Dorian; agências da ONU estão no terreno para apoiar os esforços de socorro nas ilhas afetadas de Abaco e Grand Bahama; Encontro de Cúpula de Ação Climática acontece em Nova Iorque a 23 de setembro.