Menos de 5% dos refugiados que buscam reassentamento foram atendidos em 2019

Os dados sobre os reassentamentos facilitados pelo Acnur mostram que dos 1,2 milhão de refugiados que necessitavam de reassentamento no ano passado, apenas 55.692 conseguiram encontrar um novo lugar para se estabelecer.
Acnur Venezuela/ Miguel Pachioni
Os dados sobre os reassentamentos facilitados pelo Acnur mostram que dos 1,2 milhão de refugiados que necessitavam de reassentamento no ano passado, apenas 55.692 conseguiram encontrar um novo lugar para se estabelecer.

Menos de 5% dos refugiados que buscam reassentamento foram atendidos em 2019

Migrantes e refugiados

Maior número de refugiados transferidos vem da Síria; menos de 1% dos 19,9 milhões de refugiados sob o mandato do Acnur passaram por esse processo; estima-se que 1,4 milhão de refugiados precisarão de reassentamento.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, informou esta terça-feira que, apesar dos níveis recorde de pessoas forçadas ao deslocamentos em todo o mundo, apenas 4,7% dos refugiados que buscam reassentamento foram apoiados em 2018.  

Os dados sobre os reassentamentos facilitados pelo Acnur mostram que dos 1,2 milhão de refugiados que necessitavam de reassentamento no ano passado, apenas 55.692 conseguiram encontrar um novo lugar para se estabelecer.

Crianças

De acordo com o Acnur, mulheres e meninas refugiadas, em particular, estão em risco de estupro e agressão sexual.
Normalmente, menos de 1% dos 19,9 milhões de refugiados sob o mandato do Acnur passaram pelo processo de reassentamento.
© Acnur/Georgina Goodwin

Segundo a porta-voz do Acnur, Shabia Mantoo, de um total de 81,3 mil encaminhamentos, o maior número de refugiados reassentados são originários da Síria, 28,2 mil. Da República Democrática do Congo são 21,8 mil, da Eritreia totalizam 4,3 mil, e do Afeganistão aproximadamente 4 mil.

No último ano, 68% dos reassentamentos incluíram sobreviventes de violência e tortura, pessoas com necessidades de proteção física e legal, e mulheres e meninas em situação de risco. Mais da metade, 52% dos reassentados em 2018, foram crianças.

O reassentamento, que envolve transferir refugiados de um país de acolhimento para outro que concordou em recebê-los e garantir-lhes um assentamento permanente, está disponível apenas para uma pequena fração de refugiados do mundo. Normalmente, menos de 1% dos 19,9 milhões de refugiados sob o mandato do Acnur passaram por esse processo.

O reassentamento continua a ser uma ferramenta para garantir a proteção dos que estão em maior risco. O Acnur destaca ainda que é  um instrumento de proteção e um mecanismo para governos e comunidades partilharem a responsabilidade de responder às crises de deslocamento forçado.

Pacto Global

O reassentamento e outros caminhos complementares são um dos principais objetivos do Pacto Global sobre Refugiados para ajudar a reduzir o impacto nos países que mais acolhem refugiados no mundo.

Em 2019, estima-se que 1,4 milhão de refugiados que residem em 65 nações de acolhimento precisarão de reassentamento.

Este ano, amaioria das pessoas que necessitam reassentamento inclui refugiados sírios hospedados em países do Oriente Médio, incluindo a Turquia, 43%, e refugiados em países ao longo do Mediterrâneo Central, 22%, onde movimentos em direção a Europa continuam a ceifar vidas humanas.

O Pacto Global sobre Refugiados pede aos Estados que ofereçam mais locais de reassentamento, por meio da expansão de programas existentes ou do estabelecimento de novos.