Passar para o conteúdo principal

Incêndio em campo de refugiados rohingya desloca mais de 8 mil famílias em Bangladesh BR

Incêndio devastador atingiu o campo de refugiados de Kutupalong em 22 de março
Unicef Bangladesh 2021
Incêndio devastador atingiu o campo de refugiados de Kutupalong em 22 de março

Incêndio em campo de refugiados rohingya desloca mais de 8 mil famílias em Bangladesh

Migrantes e refugiados

O local é considerado o maior assentamento de refugiados do mundo; segundo agências de notícias, sinistro matou pelo menos sete pessoas; agências da ONU no local ajudam no socorro aos afetados.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, informou que está atuando com outras agências humanitárias para socorrer dezenas de milhares de pessoas afetadas por um incêndio no assentamento de refugiados rohingya, em Cox’s Bazar, Bangladesh.

Mais de 9,1 mil abrigos de famílias foram danificados pelo fogo e a clínica médica da OIM no local ficou completamente destruída.

Refugiados rohingya afetados pelo incêndio evacuando com seus pertences
Unicef Bangladesh/2021/Swasti
Refugiados rohingya afetados pelo incêndio evacuando com seus pertences

Pertences

Com o sinistro, 8 mil famílias refugiadas rohingya foram deslocadas. Cox’s Bazar é considerado o maior assentamento de refugiados do mundo.

A área abriga grupos rohingyia que fugiram da violência no estado de Rakhine em Mianmar, o país vizinho.

Segundo a OIM, o fogo já foi controlado, mas várias instalações dos campos assim como abrigos e pertences de milhares de dezenas de refugiados foram consumidos pelas chamas.

Não se sabe ainda as causas do incêndio. Segundo agências de notícias, pelo menos sete pessoas morreram.

Estas comunidades do Bangladesh foram as primeiras a responder à crise de refugiados que começou em agosto de 2017, sendo anfitriãs para as centenas de milhares de rohingyas que fugiram da violência e da perseguição no Mianmar.
Unicef/Patrick Brown
Estas comunidades do Bangladesh foram as primeiras a responder à crise de refugiados que começou em agosto de 2017, sendo anfitriãs para as centenas de milhares de rohingyas que fugiram da violência e da perseguição no Mianmar.

Acompanhamento psicológico

Equipes da OIM e parceiros passaram toda a madrugada respondendo às emergências dos que tiveram que sair às pressas dos abrigos para salvar suas vidas.

Os voluntários rohingyas no local ajudaram os refugiados apoiando os bombeiros e outros grupos de socorro.

Forças da defesa de Bangladesh também foram chamadas ao local para lidar com a emergência.

A OIM informou que muitas famílias estão retornando ao local e recebendo assistência assim como acompanhamento psicológico.

Com o início da estação de monções em Bangladesh, a agência da ONU deve continuar apoiando os moradores na reconstrução de abrigos resistentes, latrinas de emergência e postos de saúde.

O fundo de emergência da OIM prometeu US$ 1 milhão para os esforços de resgate. No momento, são necessários US$ 20 milhões para ações de maior urgência.