PMA: “Nutrição correta hoje determinará impacto da Covid-19 em crianças”

PMA precisa de US$ 300 milhões com urgência para ampliar a resposta em tempos de pandemia.
Foto Unicef/ Tsvangirayi Mukwazhi
PMA precisa de US$ 300 milhões com urgência para ampliar a resposta em tempos de pandemia.

PMA: “Nutrição correta hoje determinará impacto da Covid-19 em crianças”

Saúde

Pandemia deve provocar 10 milhões de novos casos de desnutrição aguda em menores; agência busca financiamento urgente de US$ 300 milhões para prevenção e tratamento; intervenção global quer melhorar dieta infantil.

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, apela à ação urgente de doadores internacionais para evitar “uma perda arrasadora de vidas, da saúde e da produtividade em futuras gerações” na sequência da atual pandemia.

A diretora de nutrição da agência, Lauren Landis, declarou que conseguir uma nutrição correta hoje, determinará se as consequências da Covid-19 para as crianças serão sentidas em meses, anos ou décadas seguintes.

Risco de vida

Pelas projeções do PMA, o coronavírus pode provocar mais 10 milhões de casos de desnutrição aguda em crianças no mundo. A estimativa é que haja mais 20% de menores em risco de vida por essa condição em tempo de pandemia.

A queda no número de famílias estendidas e o aumento no número de famílias com pais ou mães solteiros têm chamado a atenção para a questão da proteção social
Unicef/Rehal El-Dalil
A queda no número de famílias estendidas e o aumento no número de famílias com pais ou mães solteiros têm chamado a atenção para a questão da proteção social

O efeito do vírus pode ser arrasador na fase infantil, e por haver crianças que já estão fracas por falta de nutrição. Ao mesmo tempo, a Covid-19 afeta famílias vulneráveis que dependem de um salário ou remessa diária.

Cerca de US$ 300 milhões são necessários com urgência para ampliar a resposta, prevenir e tratar a desnutrição aguda, bem como promover dietas nutritivas para crianças.

A agência destaca que bloqueios e restrições de movimento relacionados à Covid-19  afetam severamente os meios de subsistência. A situação agrava as ameaças existentes, como conflitos e sistemas de saúde fracos, complicando a situação das famílias dos países desprovidos de uma dieta nutritiva.

Crescimento

A agência lembra que o Relatório Global de Nutrição 2020 realça as desigualdades provocadas pela nutrição, sendo o atraso no crescimento e o desperdício mais prevalentes entre as comunidades mais pobres.

Crianças desnutridas, especialmente as menores de cinco anos, enfrentam o maior risco  de aumento de vítimas da pandemia e suas consequências socioeconômicas.

O PMA já entrega alimentos e micronutrientes adaptados à prevenção e tratamento da desnutrição a 22 milhões de crianças com menos de cinco anos e mulheres grávidas e lactantes.

Apoio

A agência atua com governos para monitorar populações vulneráveis à Covid-19, ajustando o apoio nutricional em caso de necessidade.

Outra meta do PMA é assegurar que não seja interrompida a produção desse tipo de alimentos nutritivos pelas restrições comerciais.  Nas ações no terreno, a agência informa sobre a pandemia para comunidades que não têm acesso aos sistemas de saúde.

Auxílio internacional ajudou a baixar o impacto da doença no país.
PMA/Rafael Campos
Auxílio internacional ajudou a baixar o impacto da doença no país.