Brasileiros ganham prêmio da Unesco por usar inteligência artificial na educação
BR

14 maio 2020

Letrus para o Desenvolvimento da Escrita recebe distinção Unesco Rei Hamad Bin Isa-Al Khalifa sobre uso de tecnologia da informação e comunicação na educação; Detective, da Espanha, é o outro ganhador com iniciativa de combate à dislexia. 

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura anunciou os ganhadores do Prêmio Unesco Rei Hamad Bin Isa-Al Khalifa de 2019.

A empresa brasileira Letrus e a espanhola Detective foram agraciadas com a distinção que incentiva o uso de tecnologia da informação nas salas de aula.

Governos

Prêmio incentiva o uso de tecnologia da informação nas salas de aula, mercado2/Public Domain

Os vencedores foram escolhidos de um total de 113 inscrições submetidas por governos dos Estados-membros da Unesco.

O Prêmio, apoiado pelo Reino de Bahrein, confere US$ 25 mil aos ganhadores.

O Programa Letrus de Desenvolvimento da Escrita utiliza inteligência artificial  para reduzir  o chamado analfabetismo funcional.

Escolas secundárias

O projeto da empresa Letrus tenta melhorar oportunidades para alunos e professores de escolas secundárias.

O apoio ao desenvolvimento das habilidades ortográficas dos estudantes é feito com uma técnica mista de inteligência artificial e humana no feedback.

O software usado corrige imediatamente as falhas antes que um tutor análise o desempenho final.

Desde 2017, mais de 65 mil estudantes já usaram o programa em todo o território nacional.

Diagnóstico em 15 minutos

O vencedor espanhol, Detective, foi elaborado pela empresa Change Dyslexia.
A ferramenta ajuda a detectar a dislexia em apenas 15 minutos. O software oferece exercícios baseados em jogos para alunos com dislexia.

O objetivo é ajudá-los a vencer as barreiras na fala e na leitura. O participante conta com uma série de testes em jogos e aplicativos de aprendizado.

Famílias

Mais de 270 mil crianças em 43
países já receberam o diagnóstico gratuito de dislexia. A empresa também oferece ajuda financeira para famílias carentes.

A cerimônia de entrega do prêmio da Unesco deve ser anunciada nas próximas semanas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Jornalista colombiana recebe Prêmio Guillermo Cano de Liberdade de Imprensa

Repórter investigativa, Jineth Bedoya Lima, 46 anos, cobre temas como conflito armado, processo de paz e violência sexual a mulheres; jornalista foi vítima de sequestro e estupro enquanto trabalha para o periódico El Espectador.