Brasileiros ganham prêmio da Unesco por usar inteligência artificial na educação BR

Sede da Unesco, em Paris
Unesco
Sede da Unesco, em Paris

Brasileiros ganham prêmio da Unesco por usar inteligência artificial na educação

Assuntos da ONU

Letrus para o Desenvolvimento da Escrita recebe distinção Unesco Rei Hamad Bin Isa-Al Khalifa sobre uso de tecnologia da informação e comunicação na educação; Detective, da Espanha, é o outro ganhador com iniciativa de combate à dislexia. 

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura anunciou os ganhadores do Prêmio Unesco Rei Hamad Bin Isa-Al Khalifa de 2019.

A empresa brasileira Letrus e a espanhola Detective foram agraciadas com a distinção que incentiva o uso de tecnologia da informação nas salas de aula.

Governos

Os responsáveis pelo menino denunciaram os abusos sofridos por ele antes da decisão das autoridades, mas nenhuma investigação foi realizada.
Prêmio incentiva o uso de tecnologia da informação nas salas de aula, mercado2/Public Domain

Os vencedores foram escolhidos de um total de 113 inscrições submetidas por governos dos Estados-membros da Unesco.

O Prêmio, apoiado pelo Reino de Bahrein, confere US$ 25 mil aos ganhadores.

O Programa Letrus de Desenvolvimento da Escrita utiliza inteligência artificial  para reduzir  o chamado analfabetismo funcional.

Escolas secundárias

O projeto da empresa Letrus tenta melhorar oportunidades para alunos e professores de escolas secundárias.

O apoio ao desenvolvimento das habilidades ortográficas dos estudantes é feito com uma técnica mista de inteligência artificial e humana no feedback.

O software usado corrige imediatamente as falhas antes que um tutor análise o desempenho final.

Desde 2017, mais de 65 mil estudantes já usaram o programa em todo o território nacional.

Diagnóstico em 15 minutos

O vencedor espanhol, Detective, foi elaborado pela empresa Change Dyslexia.
A ferramenta ajuda a detectar a dislexia em apenas 15 minutos. O software oferece exercícios baseados em jogos para alunos com dislexia.

O objetivo é ajudá-los a vencer as barreiras na fala e na leitura. O participante conta com uma série de testes em jogos e aplicativos de aprendizado.

Famílias

Mais de 270 mil crianças em 43
países já receberam o diagnóstico gratuito de dislexia. A empresa também oferece ajuda financeira para famílias carentes.

A cerimônia de entrega do prêmio da Unesco deve ser anunciada nas próximas semanas.