Jornalista colombiana recebe Prêmio Guillermo Cano de Liberdade de Imprensa
BR

1 maio 2020

Repórter investigativa, Jineth Bedoya Lima, 46 anos, cobre temas como conflito armado, processo de paz e violência sexual a mulheres; jornalista foi vítima de sequestro e estupro enquanto trabalha para o periódico El Espectador.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, anunciou que a jornalista Jineth Bedoya Lima é a vencedora da edição 2020 do Prêmio UNESCO/Guillermo Cano de Liberdade de Imprensa.

A distinção marca o Dia Mundial sobre Liberdade de Imprensa, celebrado em 3 de maio.

Jineth Bedoya Lima cobriu o conflito armado da Colômbia assim como o processo de paz e casos de violência sexual a mulheres. Foto: Missão da ONU na Colômbia

Processo de paz

Nascida em 1974, Jineth Bedoya Lima cobriu o conflito armado da Colômbia assim como o processo de paz e casos de violência sexual a mulheres. 

Em 2000, enquanto trabalhava para o Jornal El Espectador, ela foi sequestrada e estuprada. Três anos depois, militantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, Farc, sequestraram a repórter que atuava para o jornal El Tiempo. 

A chefe da Unesco, Audrey Azoulay, afirmou que a coragem e o compromisso de Jineth Bedoya Lima expoēm os riscos que uma mulher no jornalismo corre, mas ao mesmo tempo inspiram profundo respeito.

Unesco
Unesco designou a área de produção como Reserva da Biosfera de Arganeraie

Pandemia

Ao comentar a pandemia e a importância da informação, Azoulay disse que para fornecer informações de confiança, muitos jornalistas correm riscos em todas as partes do mundo. 

O Prêmio Unesco Guilhermo Cano é decidido por um júri independente de jornalistas para marcar o Dia Mundial de Liberdade de Imprensa. Este ano, por causa da pandemia, a cerimônia de entrega que seria em Haia, na Holanda, teve de ser adiada.

A distinção destina o valor de US$ 25 mil a cada vencedor.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Chefe da ONU lamenta perda de 200 mil vidas e detalha resposta da ONU

António Guterres destacou trabalho para criar um cessar-fogo global, responder às necessidades imediatas e preparar uma recuperação mais sustentável; secretário-geral disse que organização se mobilizou para salvar vidas, combater a fome e aliviar a dor causada pela pandemia de covid-19.

À medida que países reabrem escolas, ONU emite orientações de segurança 

Unicef, PMA, Unesco e Banco Mundial destacam medidas para proteger alunos da covid-19; quase 1,3 bilhão de estudantes estão sendo afetados pelo fechamento de escolas em todo o mundo.