Brasileiro, chefe da OMC, renuncia ao posto
BR

14 maio 2020

Embaixador Roberto Azevêdo informou que deixará cargo em 31 de agosto, um ano antes do término do segundo mandato; eleição ocorreu em 2013.

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, Roberto Azevêdo, renunciou ao posto nesta quinta-feira.
Numa teleconferência, o embaixador brasileiro disse que sairá do cargo em 31 de agosto.

Relatório indica que o comércio global sofreu uma queda de 3% por causa do novo coronavírus, MSC shipping

Carreira

Azevêdo assumiu a chefia da agência em 2013 e foi reeleito para um segundo mandato que expiraria no próximo ano. Ele lamentou o fato de a notícia ter vazado para a imprensa antes que ele mesmo pudesse fazer o anúncio.
Azevêdo contou que a decisão é fruto de bastante reflexão, mas que não foi tomada facilmente. Ele afirmou que não renuncia por motivos de saúde ou políticos.
O embaixador disse preferir adiantar a sucessão em um ano para que a agência seja gerida com base numa realidade pós-covid 19, ao se referir a mudanças causadas pela pandemia.
Especialista em comércio exterior, Azevêdo disse que a OMC obteve conquistas importantes durante seu mandato como o Acordo de Facilitação do Comércio. Ele agradeceu à equipe e a todos os funcionários da agência.
Mas para o diretor-geral, muito ainda precisa ser feito como o estabelecimento de objetivos ousados para
a próxima Reunião Ministerial, MC12, marcada para 2021.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Pandemia causa queda no comércio global

Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, revela redução de 3% no primeiro trimestre do ano; preço das commodities cai 20% em março, puxado por queda do petróleo.