ONU informa Estados-membros sobre trabalho contra pandemia de covid-19
BR

27 março 2020

Em briefing, via internet, secretário-geral e presidentes da Assembleia Geral, do Conselho de Segurança e do Conselho Econômico e Social informaram países sobre esforços das Nações Unidas para combater novo coronavírus e continuar o trabalho essencial da organização em todo o mundo.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, e altos responsáveis da organização informaram esta sexta-feira os Estados-membros sobre o combate das Nações Unidas contra a pandemia de covid-19 e os esforços para continuar o seu trabalho. 

Além do chefe da ONU, participaram o presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande, o presidente do Conselho de Segurança, Zhang Jun, e a presidente do Conselho Econômico e Social, Ecosoc, Mona Juul. 

Resposta

O presidente da Assembleia Geral começou por dizer que “as Nações Unidas estão na melhor posição para liderar a resposta multilateral e estão fazendo isso desde o início deste desafio.”

Segundo Tijjani Muhammad-Bande, a Organização Mundial da Saúde, OMS, tem “oferecido informações de confiança e garantindo, de forma consistente, que é possível derrotar esse vírus.”

Ele lembrou que a primeira reunião de alto nível da última sessão da Assembleia Geral, em setembro do ano passado, foi focada no tema da saúde. Segundo ele, “comunidades em todo o mundo estão agora vivendo, em um nível profundo, a mensagem dos líderes mundiais.”

Muhammad-Bande disse ainda que o novo coronavírus “é uma lembrança de que a humanidade está tão segura quanto seus grupos mais vulneráveis.”

Segurança

O presidente do Conselho de Segurança, Zhang Jun, afirmou que a situação “coloca enormes desafios” às operações do Conselho. 

O embaixador da China, país que tem a presidência do Conselho em março, informou que os Estados-membros começaram se encontrado esta semana por teleconferência. Neste momento, estão estudando como podem votar resoluções. 

Durante as últimas duas semanas, foram conseguidos consensos em resoluções provisórias sobre a Missão da ONU na Somália, Unsom, a Missão da União Africana e ONU no Darfur, Unamid, e sobre segurança de boinas-azuis. O embaixador acredita que votações devem acontecer em breve.

Ação de prevenção em Lagos, na Nigéria, by Unicef/Ojo

Na última semana, o Conselho também emitiu notas sobre a república Centro-Africana, Afeganistão, República Democrática do Congo e Líbia. Na próxima semana, deve discutir a situação na Síria e Afeganistão. 

Economia

Já a presidente do Conselho Econômico e Social, Ecosoc, Mona Juul, afirmou que “os ganhos de desenvolvimento dos últimos anos correm o risco de serem revertidos” durante esta crise. 

Segundo ela, embora o impacto seja sentido por todos, as consequências serão mais severas para os países mais vulneráveis, em particular os países menos avançados.

Juul afirmou que “as desigualdades socioeconômicas existentes são exacerbadas pela pandemia” e que “os que estão mais atrasados terão o maior fardo.”

Segundo ela, a crise atual “também afeta mulheres e homens de maneira diferente, por isso, a resposta deve abordar as desigualdades de gênero.”

Para a chefe do Ecosoc, a pandemia “demonstrou que as respostas requerem uma abordagem de toda a sociedade”, incluindo governos nacionais e locais, setor privado, comunidade científica, sociedade civil e jovens.

Medidas

Por fim, António Guterres afirmou que as Nações Unidas estão “tomando todas as medidas possíveis” e informou que “o trabalho crítico continua em grande parte sem interrupções.”

Em Nova Iorque, a maioria dos funcionários estão a trabalhar de casa, as viagens não essenciais foram desencorajadas, as visitas guiadas foram suspensas e as reuniões e eventos não obrigatórios cancelados. Também foi lançado um site para manter o público informado e criada uma linha direta de 24 horas para obter informações.

Na última semana, o secretário-geral conversou com representantes de todos os postos de serviço, comissões econômicas regionais, coordenadores residentes e representantes especiais em operações de paz e missões políticas.

O chefe da ONU tinha três mensagens para estes representantes: tomem todas as precauções para proteger a equipe, garantam que as funções críticas continuem, trabalhem com os governos para apoiar seus esforços.

Equipamento sendo distribuído pelo Unicef na Indonésia , by Unicef/Arimacs Wilander

No início de fevereiro, a ONU ativou uma equipe de gerenciamento de crises, sob a liderança da Organização Mundial da Saúde, OMS. Na semana passada, 93% das equipes nacionais da ONU relataram estar envolvidas com as autoridades nacionais na preparação de planos de preparação e resposta.

A ONU também está realizando reuniões virtuais semanais com os 129 Coordenadores Residentes para fornecer suporte político e operacional. Muitos economistas estão colaborando com comissões econômicas regionais e equipes para analisar o impacto socioeconômico da pandemia.

Na próxima semana, o secretário-geral irá publicar um relatório reforçando o pedido de solidariedade global, incluindo um roteiro com a resposta da ONU. 

Para ajudar as operações de manutenção da paz e missões políticas, um Grupo de Apoio de Campo está desenvolvendo várias soluções. Equipes médicas têm avaliado as capacidades dos países, incluindo a disponibilidade de testes e equipamentos de proteção individual.

Guterres informou ainda que “as Nações Unidas têm um mecanismo bem estabelecido para coordenar o apoio da cadeia de suprimentos aos países” e afirmou que essa rede global está disponível para os Estados-membros transportar suprimentos de saúde, equipe médica e outros bens.

Militares 

A ONU também está trabalhando com os países para gerenciar rotações de boinas azuis e polícias. Algumas rotações foram adiadas.

Destacando esforços mais amplos, o secretário-geral lembrou o pedido de cessar-fogo global, lançado na segunda-feira, e o apelo global de resposta humanitária de US $ 2 bilhões, lançado na quarta-feira. Guterres pediu a todos os Estados-membros “que apoiem esses apelos da maneira que puderem.”

O secretário-geral defendeu também ação em três áreas críticas: suprimir a transmissão do covid-19 o mais rápido possível, minimizar o impacto social e econômico e, por fim, preparar a recuperação para criar uma economia mais sustentável, guiada pela Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

O chefe da ONU anunciou ainda a criação de uma Iniciativa de Comunicação para Solidariedade covid-19, para informar rapidamente o público global e promover e inspirar atos de humanidade. Segundo ele, além da pandemia, é preciso combater “uma onda crescente onda de desinformação.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

OMS defende “novo movimento global” para evitar outra pandemia

Diretor-geral da agência pediu atuação do G20 “sem pretextos, nem lamentações”; em comunicado de reunião extraordinária, bloco promete fazer o que for necessário para superar pandemia do novo coronavírus e proteger vidas.