Conferência reúne centenas de jovens em Moçambique para discutir desafios de meninas e mulheres jovens
BR

10 dezembro 2019

Evento acontece pela sexta vez e tem apoio Fundo das Nações Unidas para a População; objetivo é criar um debate e uma agenda que ajude a definir políticas públicas de apoio às raparigas no país lusófono.

A 6ª Conferência Nacional da Rapariga de Moçambique reúne na cidade de Nampula, até quarta-feira, mais de 200 jovens de todo o país.  O objetivo é debater assuntos que afetam o desenvolvimento de meninas e mulheres jovens no país lusófono.

A ONU News ouviu alguns jovens sobre as maiores preocupações desta população e como podem ajudar ao desenvolvimento social e económico do país.

Membros da mesa de voto apuram resultados da eleição em Moçambique, Pnud/Rochan Kadariya

Sociedade

A representante da Associação Amor a Vida, Alda José, disse que uma das prioridades deve ser melhorar o acesso à informação, com destaque para os direitos na área familiar e saúde reprodutiva.

“Estamos aqui para lutar, com vista a reduzir para zero as uniões prematuras, o abandono da rapariga nas escolas e garantir que todas as raparigas tenham os seus direitos sexuais garantidos, promovendo o planeamento familiar e acesso à informação”.

O representante da província nortenha de Cabo Delgado, José Fernando, destacou como desigualdades o acesso às tecnologias e mudanças climáticas afetam esta população de forma desproporcional.

“Principalmente a questão da mudança climática. E a transformação socioeconômica, inclusive olhando para a questão das Tecnologias da informação e Comunicação, TICs. Temos vários temas que devem ser uma preocupação. Na questão do empoderamento da rapariga, queremos fazer com que possa ter o seu papel na sociedade, esse é um dos desafios que devemos levar avante.”

Agenda

Em três dias, os participantes tentarão definir a visão e os desafios para os próximos cinco anos e para a próxima década. O resultado final será uma agenda nacional. 

Nos últimos cinco anos, existem exemplos de leis que ajudaram a definir as políticas públicas nessa área, como a revisão da lei da família e a aprovação da lei de prevenção e combate a uniões prematuras.

A representante do Fundo das Nações Unidas para a População em Moçambique, Unfpa, destacou a importância do evento. Andrea Wojnar citou a redução de taxas de casamento prematuro conseguida através do programa Rapariga Biz, que foi implementado nas provinciais de Nampula e Zambézia.

“Neste país, uma em duas raparigas está casada antes dos 18 anos. Mas no programa rapariga Biz, entre 450 mil raparigas, temos uma taxa de menos de 5% de casamento prematuro e gravidez prematura. É um progresso enorme e sabemos que, em sociedades onde as desigualdades são enormes, elas não avançam e não podem ter um desenvolvimento sustentável.”

As conferências nacionais da Rapariga, CNR, acontecem todos os anos desde 2014. A iniciativa da Fundação para Desenvolvimento da Comunidade, FDC, em parceria com a Coligação para Eliminação das Uniões Prematuras, Cecap, tem o apoio do Unfpa, do Reino da Suécia e de outros parceiros.

De Nampula para ONU News, Ouri Pota

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Guterres destaca exemplo de Moçambique para mostrar importância de fundo de emergência da ONU

Em 2019, fundo permitiu mobilizar US$ 20 milhões poucas horas depois do ciclone Idai atingir o país lusófono; esse ano, pessoas de 44 países foram ajudadas; Assembleia Geral pretende angariar US$ 1 bilhão para atividades em 2020.