ONU condena ataque à sinagoga que matou dois em feriado de Yom Kippur, na Alemanha BR

Sede das Nações Unidas em Nova Iorque.
ONU/Rick Bajornas
Sede das Nações Unidas em Nova Iorque.

ONU condena ataque à sinagoga que matou dois em feriado de Yom Kippur, na Alemanha

Paz e segurança

Secretário-geral emitiu nota afirmou que demonstração de antissemitismo deve ser combatida com a máxima determinação; atentado na cidade de Halle deixou pelo menos dois feridos; António Guterres pediu a todos os governos que apoiem o Plano de Ação da ONU para Salvaguardar Locais Religiosos.

As Nações Unidas condenaram, de forma veemente, um ataque a uma sinagoga, ocorrido nesta quarta-feira, em Halle, no leste da Alemanha.

Secretário-geral discursa na Sinagoga Park East, em Nova Iorque.
Secretário-geral discursa na Sinagoga Park East, em Nova Iorque, Foto ONU/Rick Bajornas

Pelo menos duas pessoas morreram e mais duas ficaram feridas quando um homem armado tentou invadir o local.

Em nota, o secretário-geral disse que o atentado é uma outra prova trágica de antissemitismo.

Nesta quarta-feira, judeus em todo o mundo celebram o feriado de Yom Kippur, considerado um dos mais sagrados do calendário judaico.

Para António Guterres, o antissemitismo deve ser combatido com a máxima determinação.

Ele enviou condolências às famílias das vítimas e desejou pronta recuperação aos feridos.

O chefe da ONU aproveitou para pedir o apoio de todos os governos ao Plano de Ação para Salvaguarda de Locais Religiosos.

O secretário-geral informou que lugares de culto em todo o mundo devem ser portos seguros para reflexão e paz e não para banho de sangue e terror.