Conflito no nordeste da Nigéria já deslocou mais de 134 mil pessoas este ano

9 julho 2019

Nações Unidas alertam para piora de fragilidade em áreas como insegurança alimentar, desnutrição e epidemias; representantes de agências internacionais querem mais apoio para áreas afetadas pela crise.

Cerca de 134 mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas devido ao conflito no nordeste da Nigéria, segundo as Nações Unidas.

A organização estima que 7,1 milhões de pessoas precisem de assistência humanitária essencial nos estados de Borno, Adamawa e Yobe. As áreas são as mais atingidas pelo conflito entre o governo e o grupo terrorista Boko Haram.

Um homem carrega lenha cortada no campo de Bakassi em Maiduguri, nordeste da Nigéria, que em 2017 hospedava 21 mil pessoas deslocadas pelo Boko Haram.
Um homem carrega lenha cortada no campo de Bakassi em Maiduguri, nordeste da Nigéria, que em 2017 hospedava 21 mil pessoas deslocadas pelo Boko Haram. Foto: © Acnur/Romain Desclous

Vulnerabilidade

A ONU destaca que os meios de subsistência das vítimas foram afetados pela violência. Essa situação agravou as carências em áreas como insegurança alimentar, desnutrição e epidemias.

Em 2019, o conflito entra para o 10º ano com mais de 3 milhões de vítimas de insegurança alimentar. A desnutrição ameaça mais de 1 milhão de crianças da região.

Atualmente, dezenas de milhares de civis perdem a vida com o aumento da violência que se observa nos últimos meses. A situação é agravada pelas operações militares realizadas em áreas do estado de Borno.

Na semana passada, uma parte da área foi visitada por altos funcionários de agências humanitárias das Nações Unidas e ONGs.

Necessidades

Representantes da Organização Internacional para Migrações, OIM,  da comunidade humanitária na Nigéria e do Conselho Dinamarquês para Refugiados pediram mais apoio para enfrentar o recente agravamento da violência e das necessidades humanitárias.

Durante a visita, os altos funcionários se reuniram com as autoridades locais, agências da ONU, ONGs humanitárias e parceiros em Maiduguri, a capital do estado de Borno.

Eles também visitaram vários campos de deslocados internos da área e cidades como Damboa, Dikwa e Rann, que são as mais atingidas pela crise.

Cerca de 134 mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas devido ao conflito no nordeste da Nigéria.
Ocha/Leni Kinzli
Cerca de 134 mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas devido ao conflito no nordeste da Nigéria.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud