Mais de 3,5 mil crianças recrutadas por grupos armados na Nigéria desde 2013

12 abril 2019

Unicef lança alerta no quinto aniversário do sequestro de Chibok; mais de 100 das meninas raptadas continuam desaparecidas; 432 crianças foram mortas e mutiladas no país somente no ano passado.

Mais de 3,5 mil crianças foram recrutadas por grupos armados não-estatais entre 2013 e 2017 e foram usadas no conflito armado no nordeste da Nigéria. A maioria delas tinha idades entre 13 e 17 anos.

O alerta do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, surge para assinalar o quinto aniversário do rapto do distrito de Chibok. A agência apela também à proteção aos direitos das crianças.

No aniversário do acontecimento, marcado a 14 de abril, a agência lembra que o sequestro generalizado de crianças e as violações graves dos direitos infantis continuam a ocorrer no nordeste do país.

Sequestro

5 anos depois, mais de 100 das meninas raptadas da área de Chibok continuam desaparecidas.
Foto: Unicef Nigéria

Mais de 100 das meninas raptadas da área de Chibok continuam desaparecidas.

Além dessas crianças, outras 432 crianças foram mortas e mutiladas, 180 foram sequestradas e 43 meninas foram abusadas sexualmente no nordeste da Nigéria em 2018.

De acordo com a agência, estes números são “apenas aqueles que foram verificados”, por isso, “os números verdadeiros são provavelmente maiores.”

Apelo

Em nota, o representante do Unicef na Nigéria, Mohamed Malick Fall, lembra que “as crianças devem sentir-se seguras em casa, nas escolas e nos espaços de lazer em todos os momentos.",

O responsável faz um apelo às partes envolvidas no conflito que cumpram as suas obrigações perante a lei internacional para acabar com as violações contra as crianças e parar os ataques a infraestruturas civis, incluindo escolas.”

Desde 2012, grupos armados não estatais no nordeste da Nigéria recrutaram e utilizaram crianças como combatentes e não combatentes, violaram e forçaram raparigas a casar e cometeram outras violações graves contra as crianças. Algumas das meninas engravidam em cativeiro e dão à luz sem qualquer cuidado ou atenção médica.

Apoio

O Unicef apoia o governo da Nigéria nos seus esforços para proteger as crianças do país. Em 2017 e 2018, a agência juntamente com os seus parceiros forneceu serviços de reintegração baseados na comunidade para mais de 9,8 mil anteriormente associadas a grupos armados, bem como a crianças vulneráveis.

Esses serviços ajudam a identificar o paradeiro das famílias das crianças, devolvê-las às suas comunidades e oferecer apoio psicossocial, educação e formação profissional.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Especialista condena afastamento do presidente do Supremo da Nigéria dias antes de eleições

Relator diz que suspensão do juiz Walter Onnoghen viola padrões internacionais de direitos humanos sobre independência judicial; decisão foi tomada pelo presidente Muhammadu Buhari em finais de janeiro.

No Conselho de Segurança, Guterres alerta para perigo de mercenários em África

Secretário-geral falou em debate de alto nível organizado pela Guiné Equatorial, que preside o Conselho este mês; encontro incluiu presidente da Guiné Equatorial, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Ruanda e o presidente da Comissão da União Africana.