Rohingyas perdem mais de 270 abrigos após fortes chuvas de monções em Bangladesh

5 julho 2019

Mais de 900 mil refugiados da minoria que fugiu do Mianmar vivem na área bengalesa; agências da ONU trabalham com previsões de mais chuvas pesadas na próxima semana.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, anunciou  que três dias de chuvas contínuas de monções destruíram 273 abrigos e feriram 11 pessoas em assentamentos de refugiados da minoria rohingya situados em Cox's Bazar, em Bangladesh.

A área teve chuvas de até 350 milímetros que provocaram 26 deslizamentos de terra desde a segunda-feira. A previsão é que ocorram mais chuvas pesadas na próxima semana como parte da temporada de monções, que dura quatro meses.

Refugiados rohingya em Cox's Bazar. Foto: Acnur/Santiago Escobar-Jaramillo

Famílias

Mais de 900 mil refugiados rohingya vivem na área onde várias pessoas treinadas pelo Acnur  e parceiros operaram durante a noite de quarta-feira, sob chuva forte, para ajudar famílias em necessidade urgente.

Pelo menos 2.137 residentes foram deslocados devido à destruição de seus abrigos ou por precaução. Equipes de emergência foram mobilizadas para identificar as necessidades dos mais vulneráveis e priorizá-las para assistência.

O Acnur atua com agências como o Programa Mundial de Alimentação, PMA, e Organização Internacional para Migrantes, OIM, na preparação de atividades  priorizando a estação das monções.

Essas atividades incluem a construção de estruturas para reter a água nas encostas, a instalação de valas de drenagem, a construção de estradas e pontes, reservatórios e recursos para estabilizar o abastecimento de água.

Refugiados

Em nota emitida em Genebra, o PMA anunciou que as chuvas dos últimos dias afetaram estoques de alimentos para milhares de refugiados.

Entretanto, pelo menos 4.889 pessoas receberam biscoitos altamente energéticos e refeições quentes. Neste sábado, a agência começa a distribuir arroz, lentilhas e óleo para as famílias.

A agência disse ter reservado 65 toneladas de biscoitos altamente energéticos para as áreas de alto risco que estão próximas dos acampamentos. Com a capacidade atual podem ser alimentadas mais de 160 mil pessoas em caso de emergência.

Acnur/Chris Melzer
Acnur estima que mais de 900 mil refugiados rohingya vivem em 36 locais diferentes na área de Cox's Bazar e a água escasseia na maioria dos locais.

Desastres

Pelo menos 400 trabalhadores foram mobilizados pelo PMA para ajudar as equipes de engenharia e redução de riscos de desastres a estabilizar áreas afetadas pelos deslizamentos.

A agência está envolvida em ações de engenharia que, ao longo das monções, vão ajudar a fazer reparos e manutenção diversa. Parceiros de apoio na área de redução de risco de desastres poderão ser envolvidos nessas atividades.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Relatora da ONU "teme por civis" após encerramento da internet em Mianmar

Governo do país justificou decisão dizendo que serviços estavam sendo usados para perturbar a paz e coordenar atividades ilegais; especialista pede que decisão seja retirada de imediato.

Bangladesh: 270 mil refugiados apátridas do Mianmar obtêm cartões de identidade

Acnur e Governo do Bangladesh promovem campanha de registo; cerca de 4 mil refugiados são registados por dia; documentos com informações em inglês e  bengali indicam o Mianmar como país de origem.