Mais de 120 países debatem combate ao crime movido pela intolerância

20 maio 2019

ONU pede ação conjunta para promover rejeição do ódio; Viena acolhe 28ª sessão da Comissão de Prevenção ao Crime e Justiça Criminal; até US$ 40 bilhões da corrupção têm “porto seguro” em grandes centros financeiros do mundo por ano.

As Nações Unidas abriram esta segunda-feira a 28ª sessão da Comissão de Prevenção ao Crime e Justiça Criminal, Ccpcj.

Entre os assuntos de destaque, na sessão que acontece em Viena, estão a prevenção e o combate ao crime causado pela intolerância ou discriminação e o papel dos sistemas de justiça criminal em prol do desenvolvimento sustentável.

Diretor-executivo do Unodc, Yury Fedotov. Foto: ONU News/Liz Scaffidi

Valores Partilhados

No evento, o diretor executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, Yuri Fedotov apresentou a mensagem do secretário-geral da ONU, António Guterres, destacando que o trabalho da comissão é oportuno.

Guterres disse estar convencido que com uma ação conjunta pode ser rejeitado o ódio, protegidas as comunidades desta ameaça e defendidos os valores partilhados da humanidade.

Na reunião, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, anunciou que entre US$ 20 bilhões a US$ 40 bilhões provenientes da corrupção por ano encontram um “porto seguro” nos centros financeiros do mundo.

O Unodc anunciou que trabalha com países em desenvolvimento e centros financeiros para apoiar o processo de rastreamento, congelamento, confisco e devolução de bens roubados ao seu país de origem.

Ação Global

O diretor executivo do Unodc, Yury Fedotov,  também mencionou o trabalho da agência com “total empenhado” para ajudar a  acabar com o tráfico humano a partir do qual espera combater o problema e o contrabando de migrantes.

Nesse ramo, o Brasil implementa uma iniciativa que junta a Organização Internacional para as Migrações, OIM, e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e que envolve mais 12 nações da África, Ásia, Europa Oriental e América Latina.

Sobre o projeto em prol da ação global, apoiado pela União Europeia, o chefe do Unodc  disse que “se o mundo estiver unido contra o tráfico humano estará próximo de transformar essa intenção em realidade”.

O representante pediu ação urgente para acabar com essa violação dos direitos humanos e a impunidade dos responsáveis. A Unodc disse que a cooperação em projetos como a iniciativa com o nome glo.act foi um contributo real para este combate.

ONU/Mark Garten
A abertura do evento também contou com mensagens  de vídeo da presidente da Assembleia Geral, María Fernanda Espinosa.

Crime

O Ccpcj é o principal órgão de formulação de políticas da ONU sobre prevenção ao crime e da justiça criminal e reúne mais de mil participantes de cerca de 120 países na promoção do combate ao crime transnacional.

A abertura do evento também contou com mensagens  de vídeo da presidente da Assembleia Geral, María Fernanda Espinosa, e da presidente do Conselho Econômico e Social, Inga Rhonda King.

Mais de 100 eventos paralelos devem ser realizados na capital austríaca para discutir resoluções sobre prevenção e combate à exploração sexual infantil, o abuso sexual online, o crime cibernético e o terrorismo.

Outros temas em destaque serão o combate a todas as formas de crime organizado transnacional, especialmente o contrabando de bens culturais, da vida selvagem e de bens comerciais e o aumento da segurança na cadeia de fornecimento de metais preciosos, entre outros.

 

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ESPECIAL: Guiné-Bissau e o combate ao tráfico de drogas

Atual governo diz que “droga está de passagem, e alimenta o terrorismo”; país quer provar que não é narcoestado há mais de uma década; segunda parte da série da ONU News ilustra apoio das Nações Unidas a esses esforços.

ESPECIAL: Jovens do Brasil e a inspiração para mudar o mundo

Grupo é composto por embaixadores da Juventude apoiados pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime; fórum em Nova Iorque faz interagir membros do grupo e políticos em prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.