OIM lança app para combater tráfico humano no mar

1 maio 2019

Na Indonésia, tráfico e exploração de mão-de-obra são comuns no setor das pescas; cerca de 2 mil trabalhadores da pesca foram resgatados de traficantes em sete anos; OIM ajuda a identificar as vítimas e fornece assistência humanitária.

O escritório da Organização Internacional para as Migrações, OIM, na Indonésia criou um novo aplicativo móvel para detetar vítimas de tráfico humano.

Esta ferramenta fornece uma lista de 21 perguntas, em vários idiomas, permitindo aos investigadores reunir informações junto das tripulações dos navios.

Tráfico

Entre 2011 e 2018, cerca de 2 mil trabalhadores da pesca foram resgatados de traficantes que operam em águas da Indonésia, de acordo com dados da OIM.
Entre 2011 e 2018, cerca de 2 mil trabalhadores da pesca foram resgatados de traficantes que operam em águas da Indonésia, de acordo com dados da OIM.Unhcr/ UNHCR/Adam Dean

Desta forma, a OIM e parceiros terão uma alternativa para obter informação, uma vez que há capitães de navios que tentam enganá-los sobre a composição da tripulação e o seu bem-estar.

O tráfico humano e a exploração de mão-de-obra são comuns no setor das pescas. Segundo a OIM, a questão é preocupante no contexto da migração, porque muitas vítimas são estrangeiros que foram traficados através das fronteiras internacionais.

Entre 2011 e 2018, cerca de 2 mil trabalhadores da pesca foram resgatados de traficantes que operam em águas da Indonésia, de acordo com dados da OIM. Praticamente todos eles eram migrantes, principalmente do Camboja e Mianmar.

O desenvolvimento do aplicativo resulta de cinco anos de estreita colaboração entre a agência da ONU e o Ministério dos Assuntos Marítimos e das Pescas para combater o tráfico de pessoas em barcos de pesca que operam na Indonésia.

Colaboração

Segundo o chefe interino da Missão da OIM na Indonésia, Dejan Micevski, esta colaboração tem tido “um sucesso notável” no combate ao crescente problema do tráfico de pessoas e do trabalho forçado no setor pesqueiro."

Entre novembro de 2014 e outubro 2015 foram resgatados 1.342 tripulantes escravizados. A maioria estava no mar há anos, trabalhando sem remuneração, com condições precárias, a bordo de embarcações estrangeiras que operavam na Indonésia.

A OIM ajudou a identificar as vítimas e forneceu abrigo temporário, serviços de saúde e apoio diário de subsistência até que pudessem voltar para casa.

Identificação

Com a nova ferramenta será possível identificar se um trabalhador da pesca pode ser vítima de tráfico após responder a questões sobre idade, situação contratual, condições de vida e trabalho a bordo do navio, e quaisquer restrições ao seu movimento ou capacidade de comunicar com outros.

Se o processo de identificação inicial apontar para um possível tráfico, os indivíduos são submetidos a uma triagem mais abrangente desenvolvida pela OIM e parceiros.

O aplicativo móvel foi desenvolvido com recursos do Escritório do Departamento de Estado dos Estados Unidos para monitorar e combater o tráfico de pessoas.

Assista a este vídeo da OIM indonésia, em inglês, para melhor perceber como funciona este aplicativo:

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud