São Paulo adere a iniciativa sobre boas práticas em políticas migratórias
BR

30 abril 2019

Metrópole brasileira é uma das três cidades mundiais escolhidas para testar um projeto da Organização Internacional para Migrações; conjunto de 87 indicadores ajudam autoridades locais a avaliar estratégias e iniciativas nessa área.

A cidade de São Paulo, no Brasil, concluiu a fase-piloto do projeto Indicadores de Governança de Migração Local.

Além de São Paulo, a iniciativa da Organização Internacional para Migrações, OIM, também envolve na primeira fase as cidades de Acra, no Gana, e Montreal, no Canadá.

Brasil: migrantes e refugiados recebem assistência em Boa Vista - RR. Foto: OIM Brasil/Amanda Nero

Governança

O projeto urbano é uma adaptação para o nível local dos Indicadores de Governança da Migração da OIM, que ajudou 50 países a avaliar suas estruturas de governança desde 2015.

São Paulo segue o exemplo do Governo Federal do Brasil, cujo envolvimento no projeto nacional, em 2018, permitiu mostrar várias boas práticas no país. Ente elas estão a adoção da nova Lei de Migração e o acolhimento de haitianos e venezuelanos.

Pela nova iniciativa, um conjunto de 87 indicadores ajudam autoridades locais a avaliar estratégias e iniciativas de impacto nessas áreas. Essas lideranças também podem identificar boas práticas, bem como áreas com potencial para desenvolvimento.

O objetivo é aumentar o diálogo sobre migração entre governos nacionais e autoridades locais e permitir que as autoridades aprendam umas com as outras, discutindo desafios comuns e identificando possíveis soluções.

OIM/Amanda Nero
Refugiados e migrantes venezuelanos em Pacaraima, Brasil, cidade localizada na fronteira com a Venezuela.

Discussão

Entre dezembro de 2018 e fevereiro de 2019, pesquisadores da OIM e da Unidade de Inteligência da revista “The Economist” trabalharam com São Paulo para coletar informações sobre como a cidade administra a migração.

Como parte da iniciativa, no início do mês de abril, autoridades administrativas do município participaram de um workshop para discutir o tema, analisando boas práticas e identificando áreas para melhorar.

Na semana passada, a OIM recebeu representantes das cidades e especialistas no seu escritório em Nova Iorque, para começar a análise dos resultados. Esse material ficará disponível em maio no Portal de Dados de Migração da OIM.

A reunião em Nova Iorque foi uma oportunidade para discutir como melhorar a metodologia e torná-la acessível a mais cidades.

Em nota, o diretor de Política de Migração da OIM, David Martineau, disse que “o ponto forte” da iniciativa “é o diálogo que pode criar, não apenas entre as autoridades locais e nacionais, mas também entre as cidades enfrentando desafios semelhantes em relação à gestão da migração.”

Nos próximos meses, a OIM trabalhará no aperfeiçoamento da metodologia. A avaliação será depois estendida a um número maior de cidades.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Unicef: 1,1 milhão de crianças venezuelanas precisarão de assistência em 2019

Expectativa é de um aumento de mais de 50% em relação a quase meio milhão de crianças que estão nessa situação; agência faz apelo para que países anfitriões e de trânsito protejam os menores deslocados da discriminação e garantam acesso aos serviços essenciais.

Agências da ONU marcam um ano da operação de acolhimento de venezuelanos no Brasil

Lançada em março de 2018, Operação Acolhida operacionaliza assistência emergencial para acolhimento de refugiados e migrantes da Venezuela; mais de 240 mil venezuelanos entraram no Brasil desde 2017, sendo que quase a metade deles já saiu do país.*