Número de mortos ultrapassa 200 após aumento da violência em Trípoli  BR

Antiga Câmara dos Oradores do Parlamento em Trípoli, na Líbia
Ocha/Giles Clarke
Antiga Câmara dos Oradores do Parlamento em Trípoli, na Líbia

Número de mortos ultrapassa 200 após aumento da violência em Trípoli 

Paz e segurança

Mais médicos especialistas da OMS seguiram para apoiar hospitais da linha de frente na capital da Líbia; ONU concede mais de US$ 2 milhões para auxílio às vítimas e transferência segura de migrantes e refugiados vulneráveis. 

O número de vítimas da escalada do conflito armado em Trípoli já chegou a 205 mortos e 913 feridos.  

A informação foi dada esta quinta-feira pela Organização Mundial da Saúde, OMS, que através das redes sociais anunciou ter enviado médicos especialistas para apoiar hospitais da linha de frente na assistência a dezenas de cirurgias. 

Migrantes num centro de detenção em Tripoli, na Líbia.
Migrantes num centro de detenção em Tripoli, na Líbia. Foto: Unicef/Alessio Romenzi

Conselho  

Esta quinta-feira, o Conselho de Segurança realiza uma reunião à porta fechada para debater a situação no país onde a violência aumentou desde o início de abril.  

O subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, liberou US$ 2 milhões do Fundo Central de Resposta a Emergências, Cerf, para fornecer assistência essencial a vítimas civis do conflito, incluindo migrantes e refugiados vulneráveis. 

Na quarta-feira, o coordenador de ajuda de emergência disse estar profundamente preocupado com a escalada dos combates, afirmando que a noite de terça-feira representou “a pior violência contra civis desde 2014”. Vários bairros densamente povoados foram atingidos por bombardeios indiscriminados. 

Lowcock destacou o impacto devastador das explosões nas áreas povoadas ao apelar “a todas as partes que se abstenham de usar armas que ponham em risco a vida de mais civis e da infraestrutura.” 

 Unicef chama a atenção para a atual crise lembrando haver cerca de 500 mil crianças afetadas pela violência no oeste da Líbia. 
Ocha/Giles Clarke
Unicef chama a atenção para a atual crise lembrando haver cerca de 500 mil crianças afetadas pela violência no oeste da Líbia. 

Emergência  

Os fundos do Cerf também devem apoiar a ação em hospitais e clínicas de saúde, incluindo o atendimento aos feridos e garantir o acesso a suprimentos médicos de emergência como kits cirúrgicos e de trauma.  

Com o valor, as agências humanitárias devem fornecer alimentos e artigos aos deslocados e ajudar na transferência segura de migrantes e refugiados vulneráveis de centros de detenção situados em áreas onde ocorreram ataques aéreos.  

Na noite de 16 de abril ocorreu o maior número de deslocamentos em cinco anos, com pelo menos 4,5 mil pessoas obrigadas a abandonar suas casas. 

A Organização Internacional para as Migrações, OIM, estima que o total de deslocados internos provocados pela atual crise subiu para cerca de 25 mil.