Crianças suspeitas de integrar grupos armados libertadas na Nigéria 

4 outubro 2019

Exército declarou mais de 1,6 mil menores inocentes de associação a estes grupos desde 2016; Unicef  promete continuar ações para assegurar que todas as crianças afetadas pelo conflito voltem a encontrar suas famílias.

Um grupo de 25 crianças foi libertado da custódia administrativa do exército após suspeitas de integrar grupos armados na Nigéria.

Em nota emitida esta quinta-feira, em Abuja, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, destaca que com este novo grupo, que inclui duas meninas, sobe para 44 o número de crianças libertadas este ano.

Crianças refugiadas nigerianas em uma sala de aula em escola pública no campo de Minawao, nos Camarões, Acnur/Gaelle Massack

Ambiente Seguro

Para a representante do Unicef na Nigéria, Pernille Ironside, estas crianças estavam afastadas de suas famílias e comunidades, privadas de sua infância bem como de educação, de cuidados de saúde, e da possibilidade de crescer em  ambiente seguro e propício.

O Unicef destaca que continuará trabalhando para garantir que “todos os menores afetados pelo conflito na Nigéria voltem a encontrar suas famílias, tenham esperança de alcançar seus sonhos e  direitos humanos”.

O Ministério de Assuntos Femininos e Desenvolvimento Social do Estado de Borno liderou o processo no qual as crianças serão mantidas em um centro de trânsito. As ações são apoiadas pela Unicef enquanto estão em andamento os esforços para as reunir com suas famílias e reintegrá-las nas comunidades.

As crianças devem receber apoio médico e psicossocial, educação, formação profissional e educação informal, além de oportunidades para melhorar os meios de subsistência.

Gastos

Pernille Ironside disse ter havido  progressos, mas revelou que o desejo é que todas as crianças suspeitas de envolvimento com grupos armados sejam transferidas de custódia militar para serem cuidadas por autoridades locais relevantes o mais rapidamente possível. A ideia é facilitar o seu regresso às famílias e comunidades.

Com a  celebração dos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança em 2019, a representante pediu compromisso coletivo para “fazer mais para a proteção, o bem-estar e o desenvolvimento de crianças na Nigéria, assegurando que elas não sejam recrutadas ou usadas em conflitos em primeiro lugar.”

Desde 2016, um total de 2.499 pessoas, incluindo 1.627 crianças, já foram declaradas inocentes da associação com grupos armados não-estatais.

Os serviços de apoio fornecidos pelo Unicef e parceiros envolvem a reintegração dos  menores afetados e de outras crianças vulneráveis de comunidades expostas ao risco de recrutamento por grupos armados.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Nigéria precisa de ação urgente para acabar com violência de “alta pressão”

situação custa milhares de vidas, segundo a relatora especial em direitos humanos Agnes Callamard; especialista visitou país africano durante 12 dias; combate contra o grupo terrorista Boko Haram continua sendo preocupação.