OMS alerta para “aumento acentuado” de casos de ébola na RD Congo

5 abril 2019

Desde de 2 de abril, foram notificados 1.100 casos confirmados e prováveis, dos quais 690 pacientes morreram; maioria das vitimas é do sexo feminino; OMS aposta num maior envolvimento das comunidades para combater surto.

Na semana passada, registou-se um “aumento acentuado” no número de casos de doença pelo vírus ébola na República Democrática do Congo, RD Congo.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, OMS, durante os últimos 21 dias 57 áreas de saúde relataram novos casos, o que representa 42% das 135 áreas de saúde afetadas até ao momento. Durante este período, um total de 172 casos foram confirmados.

Novos Casos

Em nota, a OMS informa que continuará, juntamente com os seus parceiros, a adaptar e a fortalecer os esforços de resposta para limitar a disseminação dos vírus nestas áreas.

A agência adianta também que, desde de 2 de abril, foram notificados 1.100 casos confirmados e prováveis, dos quais 690 pacientes morreram.

A OMS destaca que destes 1.100 casos com idade e sexo reportados, 58% eram do sexo feminino e 29% eram crianças menores de 18 anos.

OMS aposta no envolvimento das comunidades para combater avanço do surto de ébola. Unicef/ UN0235949/Nybo

Até ao momento, um total de 338 pacientes com ébola que receberam atendimento em Centros de Tratamento receberam alta.

Programa

Como parte de um programa mais amplo para fornecer assistência aos sobreviventes do ébola e construir capacidade de resposta local sustentável, a OMS implementou um programa de formação oftalmológica e uma clínica.

O projeto resulta de esforços conjuntos da OMS, Ministério da Saúde e uma equipa de oftalmologistas da Universidade de Emory e da Universidade da Carolina do Norte.

Um total de 252 sobreviventes foram examinados na clínica oftalmológica e dez profissionais do país foram treinados para prestar cuidados oftalmológicos às comunidades.

Estratégia

De acordo com a OMS, a recente mudança na estratégia de resposta para promover um maior envolvimento das comunidades afetadas começa agora a produzir resultados.

Embora se continue a sentir alguma relutância e desconfiança de algumas comunidades perto de Butembo e Katwa, outras áreas viram “uma diminuição notável na resistência à presença de trabalhadores humanitários.”

O aumento do número de casos evidencia o ambiente difícil em que o surto está a ocorrer, bem como a multiplicidade de desafios no combate.

A OMS defende que é necessária uma abordagem holística, envolvendo a implementação rigorosa de medidas que quebrem cadeias de transmissão, como rastreio, vacinação e esforços persistentes no envolvimento da comunidade.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Sessão do Conselho de Segurança aborda “contexto muito mais sereno” na RD Congo

Transição entre presidentes aconteceu de forma pacífica e discussões para formação de novo governo estão em andamento; trabalhadores humanitários e funcionários da Missão da ONU continuam sendo atacados em áreas afetadas pelo ebola.

Novos ataques colocam em risco segurança no combate ao ebola na RD Congo

OMS preocupada com ataques contra centros de tratamento da ONG Médicos Sem Fronteiras, MSF, ocorridos na segunda-feira; no atual surto de ebola mais de 820 pessoas foram infetadas e 555 perderam a vida.