Programa da ONU encorajado com anúncio de cura de paciente com HIV

5 março 2019

Homem que vivia com o vírus em Londres parece estar livre da doença há 18 meses; Nações Unidas estimam que 37 milhões de pessoas viviam com este vírus em 2017; no mesmo ano, cerca de 1,8 milhões de novos casos foram registados.

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids está encorajado com a notícia de que um um homem em Londres, no Reino Unido, foi curado do vírus.

Investigadores dizem que o vírus está indetectável no homem desde que ele parou de tomar remédios antirretrovirais há 18 meses. O resultado foi anunciado na Conferência sobre Retrovírus e Infecções em Seattle, nos Estados Unidos.

Tratamento

Michel Sidibé, diretor-executivo do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV e Aida, Unaids., by UN Photo/Mark Garten

Em 2016, o paciente foi tratado a um linfoma de Hodgkin no University College e Imperial College de Londres, recebendo um transplante de medula de um doador com uma mutação genética rara.

Em nota, o diretor executivo da Onusida, tambem conhecida como Unaids, disse que "encontrar uma cura é o maior sonho."

Michel Sidibé explicou que “este avanço é complicado e ainda é necessário muito mais trabalho, mas dá uma grande esperança para o futuro de que é possível acabar com a Aids usando a ciência, por meio de uma vacina ou de uma cura.”

O representante acrescentou que a notícia “também mostra a que distância estamos desse ponto e a absoluta importância de continuar a concentrar os esforços de prevenção e tratamento.”

A agência lembra que os transplantes são procedimentos altamente complexos, intensivos e caros, com efeitos colaterais substanciais e que, por isso, não são uma maneira viável de tratar um grande número de pessoas.

Apesar disso, os resultados oferecem novas perspetivas para os pesquisadores desta área e destacam a importância contínua de investir em pesquisa científica e inovação.

Este é apenas o segundo caso conhecido de uma cura. O primeiro foi o caso de Timothy Ray Brown, que recebeu tratamento semelhante em 2007 em Berlim.

Situação mundial

Atualmente não há cura para o HIV. O Unaids está a trabalhar para garantir que todas as pessoas que vivem com o vírus e são afectadas por ele tenham acesso a serviços de prevenção, tratamento, cuidados e apoio.

Em 2017, estima-se que 37 milhões de pessoas viviam com este vírus e 1,8 milhões de novos casos foram registados.

Nesse ano, quase 1 milhão de pessoas morreram de doenças relacionadas à Aids. Cerca de 21,7 milhões de pessoas tiveram acesso ao tratamento

 

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud