Investimento direto estrangeiro cai pelo terceiro ano consecutivo
BR

21 janeiro 2019

Novo relatório revela que valor total é comparado ao da década de 1990; queda de 19% foi de cerca de US$ 1,2 trilhão em 2018; Unctad prevê uma recuperação das nações desenvolvidas em 2019.

O investimento direto estrangeiro em todo o mundo caiu 19% para cerca de US$ 1,2 trilhão em 2018.

Um estudo da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento, Unctad, revela que essa é a terceira queda consecutiva anual e chegou ao nível mais baixo desde a crise financeira global.

Monitoramento

O Monitoramento das Tendências Globais de Investimento destaca que os países desenvolvidos tiveram a maior queda no fluxo de entradas de investimento direto. As economias em desenvolvimento continuaram resilientes.

O Brasil está no oitavo lugar entre os 10 países com a maior entrada de investimento direto estrangeiro em 2018.  O país teve uma queda de 12% nesse fluxo, em comparação a 2017.

Em geral, o declínio foi maior nos países desenvolvidos, onde os fluxos das entradas globais de investimento direto estrangeiro caíram 40% para cerca de US$ 451 bilhões.

Divulgação / Prefeitura de Santos
O Brasil está no oitavo lugar entre os 10 países com a maior entrada de investimento direto estrangeiro em 2018.

EUA e Europa

Os Estados Unidos estão na frente do Top 10 dos destinos deste tipo de investimento. Mas o país teve uma queda de 18% para US$ 226 bilhões entre 2017 e 2018.

As principais razões são a repatriação de ganhos acumulados por empresas multinacionais americanas atuando fora do seu território após as reformas tributárias de seu governo.

Por essa razão, a Europa teve uma queda de cerca de 73% no investimento direto estrangeiro para US$ 100 bilhões, a qual foi a maior em termos regionais. Esse valor foi verificado somente na década de 1990.

O estudo prevê uma recuperação das nações desenvolvidas em 2019, dos níveis baixos que foram observados em 2018.

IMF/Henrik Gschwindt de Gyor
Sede do FMI em Washington. Estados Unidos estão na frente do Top 10 dos destinos deste tipo de investimento.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Estudo da ONU aponta riscos para economias de países lusófonos em 2019 e 2020

Novo relatório global também indica melhorias nesses países, mas deixa alguns avisos; especialista aponta questão da dívida pública em Moçambique; Angola depende de preço do petróleo e Brasil deve realizar reformas.

Saiba mais sobre o Fórum Económico Mundial de Davos

Secretário-geral e alta comissária dos Direitos Humanos estão entre os representantes da ONU que participarão; encontro reúne representantes das áreas política e económica para debater grandes questões mundiais.