Chefe do FMI quer ‘ação coletiva’ para restaurar confiança do mercado BR

Chefe do FMI quer ‘ação coletiva’ para restaurar confiança do mercado

Para Christina Lagarde mundo tem três grandes desafios: crescimento lento, dívidas de países desenvolvidos e reparos no caminho que conduz à recuperação global.

[caption id="attachment_204676" align="alignleft" width="350" caption="Christine Lagarde comenta desafios para a economia mundial"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, FMI, pediu a líderes internacionais que promovam “uma ação coletiva” para restaurar a confiança dos mercados.

Durante um discurso no Centro Woodrow Wilson, em Washignton, Christine Lagarde afirmou que o mundo tem atualmente três grandes desafios.

Recuperação Mundial

Ela citou a lentidão do crescimento global, as dívidas de países desenvolvidos que geraram riscos de estabilidade financeira além de reformas e ajustes no caminho para a recuperação mundial.

A chefe do FMI afirmou ainda que a instabilidade e a tensão social são riscos causados pela crise atual.

O pronunciamento de Lagarde antecede os encontros Anuais do Banco Mundial e do FMI. O evento reúne líderes internacionais do setor.

Neste ano, a reunião ocorrerá em meio a uma piora da crise financeira na zona do euro, e de dados desanimadores sobre a recuperação econômica dos mercados avançados.

Revoluções Sociais

Christine Lagarde lembrou ainda a situação de vários países no Oriente Médio e no norte da África que têm agora como tarefa transformar suas economias após as revoluções sociais do primeiro semestre.

No próximo dia 20, o FMI deve publicar suas previsões para a economia mundial.

O encontro anual do órgão e do Banco Mundial deve contar com a presença de cerca de 13 mil pessoas incluindo legisladores, acadêmicos, políticos e jornalistas de várias partes do mundo.

A reunião ocorre nos dias 23 e 24 de setembro, em Washington.

*Apresentação: Luisa Leme.