Acnur: choques climáticos podem gerar crise “invisível” em Moçambique

12 maio 2022

Agência da ONU para Refugiados precisa de US$ 36,7 milhões para ampliar as operações humanitárias; em parceria com o governo, Acnur leva assistência jurídica a 21,5 mil pessoas deslocadas em Cabo Delgado. 

Os efeitos da crise climática no norte de Moçambique sobre a insegurança na região estão preocupando a Agência da ONU para Refugiados, Acnur. 

  

Na província de Cabo Delgado, que vive um conflito entre movimentos armados não-estatais e tropas do governo, sobem os níveis de violência, incluindo violência de gênero, 

  

Desastres naturais 

Crise de Cabo Delgado, em particular, está a ter um impacto preocupante nas crianças e mulheres
© Unicef Moçambique/2021/Ricardo Franco
Crise de Cabo Delgado, em particular, está a ter um impacto preocupante nas crianças e mulheres

  

Para mitigar o problema, o Acnur em parceria com o governo realiza uma série de ações para assistência jurídica e material das pessoas afetadas, geralmente deslocados pelo conflito e pelos desastres naturais. 

  

Grainne O’Hara, diretora da Divisão de Proteção Internacional do Acnur afirma que o impacto da crise climática continua visível em Moçambique. Ela citou a vulnerabilidade e o deslocamento que têm dificultado a vida dos refugiados, deslocados internos e comunidades anfitriãs. 

  

O’Hara contou que a violência arruinou a vida de cerca de 783 mil pessoas na província de Cabo Delgado. Com os combates, o trabalho humanitário também fica prejudicado. 

  

Ali, 6 mil pessoas estão deslocadas após o ressurgimento do conflito também na província de Niassa, no norte de Moçambique.  

  

Ciclones 

Palma foi afetada pela insegurança em Cabo Delgado, no norte de Moçambique.
© PMA/Grant Lee Neuenburg
Palma foi afetada pela insegurança em Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

  

Devido à localização geográfica,  país tem sido afetado por tempestades tropicais e ciclones ao longo da costa.  

  

O ciclone tropical Gombe, em 11 de março, afetou mais de 736 mil pessoas, incluindo deslocados internos e refugiados no assentamento de Maratane, onde 80% dos abrigos foram danificados e mais de 27 mil refugiados e membros da comunidade anfitriã precisam de assistência urgente.  

  

O Acnur está reforçando a preparação para emergências e resposta a eventos climáticos extremos como parte de seu apoio ao país.  

  

De Maputo para ONU News, Ouri Pota  

  

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud