Geadas em plantações de cana no Brasil impulsionam alta global no preço do açúcar
BR

2 setembro 2021

Índice da FAO para o produto subiu 9,6% em agosto, devido a preocupações com danos causados pelo clima frio em várias regiões do país; agência cita também desvalorização do Real; houve alta do preço global das principais commodities alimentares.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, divulgou esta quinta-feira o seu Índice de Preço dos Alimentos, que leva em conta as principais commodities alimentares.   

Em agosto, o índice marcou 127.4 pontos, uma alta de 3,1% em relação à julho e quase 33% acima do valor registrado em agosto de 2020. A principal alta foi registrada no Índice de Preço do Açúcar, que subiu 9,6% em agosto, na comparação com julho. 

O Brasil é o maior exportador de açúcar do mundo
OMS/Christopher Black
O Brasil é o maior exportador de açúcar do mundo

 

Geadas no Brasil  

Segundo a FAO, o que impulsionou a alta foram as preocupações com os danos causados pelas geadas em plantações de cana do Brasil, que é o maior exportador mundial de açúcar. 

A agência explica ainda que houve perspectivas de boa produção na Índia e na União Europeia, além de queda no preço do petróleo bruto e desvalorização do Real brasileiro.  

Segundo a FAO, preço do trigo subiu e do milho baixou em agosto
Alex Webb/Magnum Fotos para FAO
Segundo a FAO, preço do trigo subiu e do milho baixou em agosto

Trigo e Milho 

Já o Índice de Preço das Oleaginosas subiu 6,7%, com “alta histórica devido a preocupações sobre produção abaixo do esperado e baixas nos estoques da Malásia”.  

Em relação à média global de preço dos cereais, a alta em agosto foi de 3,4%, mas no caso do trigo, a subida foi ainda maior, de 8,8% devido à redução nas colheitas dos maiores países exportadores.  

Derivados do leite também fazem parte do índice da FAO
Foto: FAO/Alessia Pierdomenico
Derivados do leite também fazem parte do índice da FAO

Carne e Leite  

Por outro lado, melhores produções de milho na Argentina e na União Europeia equilibraram as baixas nas colheitas no Brasil e nos Estados Unidos e o preço global do milho teve queda de 0,9%.  

A FAO prevê que a produção global de cereais para este ano seja de 2,7 bilhões de toneladas, uma pequena alta de 0,7% em relação ao ano passado.  

A agência também divulgou  que o Índice de Preço das Carnes subiu ligeiramente em agosto, graças ao aumentos das compras de carne de vaca e de ovelha por parte da China. Já o preço global dos laticínios teve pequena queda devido à menor demanda de importação de leite em pó.  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud