Após chegada de ajuda, PMA disse precisar de cerca de US$ 176 milhões para salvar vidas em Tigray

Auxílio recém-chegado a Tigray ajudará apenas uma pequena fração de pessoas  BR

PMA (arquivo)
Após chegada de ajuda, PMA disse precisar de cerca de US$ 176 milhões para salvar vidas em Tigray

Auxílio recém-chegado a Tigray ajudará apenas uma pequena fração de pessoas 

Ajuda humanitária

Retoma da chegada de comida e de funcionários humanitários acontece um mês após interrupção de voos; assaltos e retenções estão entre os desafios para ajudar vítimas do conflito entre forças do exército federal e regional da área etíope. 

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, entrou na região etíope de Tigray pela primeira vez por via aérea em um mês, transportando ajuda e 30 funcionários humanitários.  

Esta sexta-feira, cerca de 24 horas após chegar à capital Mekelle, a agência revelou extrema preocupação com desafios de auxílio à região, onde faltam alimentos e outros suprimentos, além de serviços de comunicação e cadeias de abastecimento. 

Fracção  

O novo lote deve beneficiar mais de 730 mil pessoas em áreas do sul e do noroeste. Cerca de 40 mil residentes de uma região chamada Zana receberam a primeira entrega de sempre considerada “uma fração dos que deveriam ser alcançados.”  

Milhares de etíopes da região de Tigray fugiram para o Sudão e muitos estão vivendo no acampamento Um Rakuba
Acnur/Ahmed Kwarte
Milhares de etíopes da região de Tigray fugiram para o Sudão e muitos estão vivendo no acampamento Um Rakuba

Em áreas mais remotas ainda há pessoas completamente isoladas vivendo em condições terríveis, de acordo com a agência. A operação à região foi realizada pelo Serviço Aéreo Humanitário da ONU, Unhas, que retoma voos comerciais depois de serem interrompidos em 24 de junho. 

O diretor regional do PMA para a África Oriental, Michael Dunford, destacou o alívio da agência em fazer chegar trabalhadores essenciais como parte do aumento da resposta humanitária.  

Conflito  

A meta da agência é alcançar 2,1 milhões de pessoas com assistência alimentar na sequência do conflito entre o governo etíope e forças regionais da Frente de Libertação do Povo Tigray, iniciado em novembro. 

Operando duas vezes por semana, os voos da Unhas deverão facilitar a entrada e saída do pessoal humanitário na região etíope. Uma das preocupações à medida que o conflito aumenta é com os ataques aos comboios. O mais recente aconteceu esta semana, enquanto se tentava transportar carga humanitária essencial. 

Voos da Unhas deverão facilitar a entrada e saída do pessoal humanitário 
© AcnurAriane Maxiandeau
Voos da Unhas deverão facilitar a entrada e saída do pessoal humanitário 

 

Outros 200 veículos carregando alimentos e suprimentos essenciais estão atualmente retidos em Semera, capital da região de Afar, aguardando autorizações de segurança. 

Alerta  

Para os próximos dias, o PMA espera alcançar mais de 80 mil pessoas no noroeste de Tigray. A agência destaca, no entanto, que uma vez distribuído esse lote, as reservas alimentares se esgotarão. 

Para continuar a ampliar o auxílio até o final do ano, o PMA disse precisar de cerca de US$ 176 milhões para salvar vidas e meios de subsistência na região do noroeste etíope.  

Crianças da Eritreia brincam em assentamento de Adi Harush em Tigray
Acnur/Chris Melzer
Crianças da Eritreia brincam em assentamento de Adi Harush em Tigray