Conflito no norte da Etiópia deixa quase 9,5 milhões de pessoas famintas
BR

26 novembro 2021

Segundo o Programa Mundial de Alimentos, PMA, número de civis que precisam receber assistência alimentar continua aumentando; situação é pior na região de Amhara, sendo que 10 mil moradores da área receberam comida da agência nesta semana.

Aproximadamente 9,4 milhões de pessoas precisam de assistência alimentar no norte da Etiópia, segundo o Programa Mundial de Alimentos, PMA. Nesta sexta-feira, a agência da ONU divulgou um comunicado, a partir de Adis Abeba, destacando que esse número apenas cresce devido ao conflito no país. 

A situação está pior na região de Amhara, onde agora 3,7 milhões de pessoas precisam receber, com urgência, ajuda humanitária. Segundo o PMA, em outras áreas do norte da Etiópia, 80% da população, ou 7,8 milhões de pessoas, vivem em zonas onde há confrontos. 

Condições pioram 

Distribuição de comida em Afar, na Etiópia.
Foto: © WFP/Claire Nevill
Distribuição de comida em Afar, na Etiópia.

A agência destaca ser vital que a ajuda alimentar consiga ultrapassar as linhas de batalha e chegar até as famílias que mais precisam. Nesta semana, o PMA conseguiu entregar alimentos para mais de 10 mil pessoas nas cidades de Dessie e Kombolcha, em Amhara. 

Esta foi a primeira vez que a distribuição de comida foi possível desde que as Forças de Tigray entraram na área, há um mês. O PMA explica ainda que as condições de nutrição estão piorando no norte da Etiópia, sendo que até 28% das crianças estão desnutridas e no caso das grávidas e das mulheres que amamentam em Amhara e Tigray, o índice chega a 50%. 

Até o momento, o PMA conseguiu entregar alimentos e assistência nutricional para 3,2 milhões de pessoas na zona norte da Etiópia, incluindo 875 mil mulheres e crianças vulneráveis, que receberam comida fortificada em Tigray e Amhara. 

Retorno dos voos 

Voos da Unhas deverão facilitar a entrada e saída do pessoal humanitário 
© Acnur/Ariane Maxiandeau
Voos da Unhas deverão facilitar a entrada e saída do pessoal humanitário 

O Serviço Aéreo das Nações Unidas, Unhas, voltou a realizar voos para Tigray na quarta-feira, fazendo um rodízio de trabalhadores humanitários para dentro e fora da região desde 22 de outubro, quando houve um incidente de segurança. 

O PMA está precisando de 1 milhão de litros de combustível para poder ajudar 7,8 milhões de pessoas que estão nas regiões de conflito. As autoridades de Tigray disponibilizaram 45 mil litros de gasolina. 

Nos próximos dias, um comboio com 2,2 mil toneladas de comida deve chegar a Mekelle, sendo que 35 caminhões já foram para a área. Em Tigray, o PMA só conseguiu ajudar 180 mil pessoas, que representam 7% das 2,5 milhões de pessoas que precisam de ajuda alimentar. Em Amhara, 220 mil civis já foram beneficiados e a meta é entregar comida a 650 mil pessoas.

Entretanto, o PMA salienta estar sem fundos e precisando de US$ 316 milhões para poder continuar ajudando a população do norte da Etiópia nos próximos seis meses. 
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud