Banco Mundial pede sistemas de dados mais fortes para combater pobreza
BR

28 março 2021

Covid-19 destaca urgência de melhorar governança, acesso equitativo e a confiança com o novo contrato social para dados e informação; programa-piloto no Haiti ajudou produtores a aumentar venda de mangas e melhorar rendimentos.

O Banco Mundial está convocando sistemas de dados mais fortes para obter todo o potencial da revolução de dados para transformar a vida das pessoas carentes. O objetivo é combater a pobreza e estimular atividade econômica.

Atualmente os dados estão mais disponíveis do que nunca, mas permanecem inexplorados,de acordo com o novo Relatório de Desenvolvimento Mundial 2021: Dados para Vidas Melhores.

Potencial  

O presidente do Grupo Banco Mundial, David Malpass, disse que os dados oferecem um enorme potencial para criar valor, melhorando programas e políticas, impulsionando economias e capacitando os cidadãos.
 

A perspectiva dos pobres está ausente do debate global sobre governança de dados e precisa ser ouvida com urgência.
 

Os países de baixa renda muitas vezes ficam em desvantagem devido à falta de instituições, autonomia de tomada de decisão e recursos financeiros, o que impede a implementação e eficácia dos sistemas de dados e estruturas de governança.

 

A cooperação internacional é necessária para harmonizar as regulamentações e coordenar as política para que essas informações sejam usadas para beneficiar a todos e para informar os esforços em direção a uma recuperação ecológica, resiliente e inclusiva.

 

Unsplash/Sigmund
Estatísticas ajudam governos a definir prioridades e criar benefícios para as pessoas.

Métodos 

Os dados coletados para fins públicos ou comerciais, por métodos tradicionais ou modernos, estão sendo usados, combinados e reutilizados de forma a trazer benefícios a mais pessoas e fornecer informações com maior precisão. 

 
Estatísticas melhores auxiliam os governos a definir prioridades e direcionar recursos de forma mais eficiente. No Quênia, por exemplo, a mídia social, dados de telefones celulares e relatórios oficiais digitalizados de acidentes de trânsito em Nairóbi identificaram as estradas mais perigosas, levando a melhorias na segurança no trânsito para salvar vidas. Já no No Haiti, a tecnologia ajudou os produtores de manga a rastrear sua produção até a venda final, eliminando muitos intermediários, permitindo que eles ficassem com uma parte maior de seus lucros.

 
A economista-chefe do Grupo Banco Mundial, Carmen Reinhart, disse que a combinação de dados de fontes múltiplas pode promover a formulação de políticas baseadas em evidências por meio de estatísticas mais precisas e oportunas.

 

Os efeitos adversos do Covid-19 foram sentidos de forma desigual, e os usos inovadores de dados oferecem novas oportunidades para entender sua disseminação, avaliar políticas para mitigá-la e direcionar recursos governamentais para as pessoas mais necessitadas.

a2i
Pandemia evidenciou desigualdades entre grupos com acesso à tecnologia e os que são têm.

Mudança abrupta 

A Covid-19 destacou dramaticamente as oportunidades e desafios relacionados ao uso de dados. Os países reaproveitaram os dados dos telefones celulares para monitorar o vírus, mas tiveram que fornecer proteção contra o uso indevido desses dados.

 

A mudança abrupta para o trabalho virtual também expôs uma divisão digital entre aqueles com acesso à tecnologia e aqueles sem, servindo para lembrar da necessidade do acesso equitativo a telefones celulares e à internet para os pobres e países de baixa renda.

 

A contenção de vírus tem dificultado a coleta de dados básicos em vários países, ressaltando a necessidade de investimentos em infraestrutura, sistemas de dados e capacidade estatística.  

Unodc
Uso indevido de informações está entre os maiores riscos e a proteção dos dados é essencial para gerar confiança.

Uso indevido 

No entanto, quanto mais dados são usados, maior o potencial de uso indevido.  Regulamentações para fortalecer a segurança cibernética e proteger os dados pessoais são essenciais para gerar confiança.
 

Em uma pesquisa em 80 países, apenas 40% tinham disposições para regulamentações de dados de melhores práticas, incluindo menos de um terço dos países de baixa renda. 
 
Apesar de todo o potencial de desenvolvimento dos dados, os benefícios do sistema global de dados são, por enquanto, direcionados para melhor situação. Melhor representação e acesso aos dados para pessoas marginalizadas é uma prioridade. Os países de renda mais baixa também se encontram em desvantagem competitiva quando se trata de aproveitar os benefícios econômicos das empresas de plataforma de dados. 
 
O relatório reconhece os diversos pontos de vista relacionados às estatísticas e um ambiente político incerto. Para que os benefícios dos dados crie oportunidades para todos, é preciso melhorar a governança de dados internamente, bem como por meio de uma cooperação internacional mais próxima.

 

O custo da inação é alto, levando a oportunidades perdidas e maiores iniquidades. Forjar um novo contrato social para dados  baseado em princípios de valor, confiança e equidade  fará a diferença.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU divulga recomendações para proteger menores no espaço digital

Comitê sobre os Direitos das Crianças apresentou resultados de um estudo realizado em 27 países que ouviu crianças e jovens sobre os efeitos da tecnologia digital em suas vidas; privacidade e respeito são alguns dos aspectos ressaltados na consulta. 

Investimento em mulheres e jovens empreendedores pode impulsionar crescimento da África  

África tem uma alta taxa de desemprego, cerca de de 15%, que afeta principalmente mulheres e jovens; evento discutiu desafios e como promover empreendedorismo após pandemia de Covid-19.