Guterres diz que inclusão da deficiência é um direito humano fundamental 
BR

3 dezembro 2020

Em mensagem sobre Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, chefe da ONU disse que luta por esses direitos aproxima o mundo dos princípios defendidos na Carta das Nações Unidas; em todo o mundo, cerca de um bilhão de pessoas vive com deficiência. 

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, reafirmou esta quinta-feira que “a inclusão da deficiência é um direito humano fundamental.” 

Em mensagem sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, marcado em 3 de dezembro, o chefe da ONU afirmou que quando se luta para garantir esse direito, o mundo se aproxima “dos valores e dos princípios defendidos na Carta das Nações Unidas.” 

Adolescente usando software para operar computador em escola em Kuala Lumpur, Unicef/Pirozzi

Desafios 

Em todo o mundo, cerca de um bilhão de pessoas vive com deficiência e 80% dessa população mora países em desenvolvimento. 

Estima-se que 46% dos idosos com 60 anos ou mais são pessoas com deficiência. Além disso, uma em cada cinco mulheres tem probabilidade de enfrentar a situação na vida, enquanto uma em cada 10 crianças vive com alguma deficiência. 

No início do seu mandato, o secretário-geral pediu a elaboração de um relatório abrangente sobre o desempenho da organização nesta área.  

O relatório destacou vários exemplos de boas práticas, mas principalmente lacunas em todo o trabalho da ONU, desde a sede em Nova Iorque ao trabalho de campo. 

Por isso, António Guterres lançou a Estratégia de Inclusão de Pessoas com Deficiência das Nações Unidas no ano passado. 

O chefe da ONU diz que esta “é uma estratégia de ação, ação para elevar os padrões do desempenho na inclusão da deficiência a todos os níveis, e ação para concretizar a mudança” de que a organização precisa. 

Progresso 

Passado um ano, Guterres afirma que “a Estratégia alavancou ações positivas, mas ainda há um longo caminho a percorrer.” 

O secretário-geral destacou uma série de objetivos, como as ações Unidas serem um empregador desejado pelas pessoas com deficiência e que as suas operações humanitárias, de desenvolvimento e de paz reconheçam e promovam em pleno os direitos das pessoas com deficiência. 

António Guterres também deseja que “as Nações Unidas sejam totalmente acessíveis para todos.” 

Segundo ele, “o objetivo é claro: um mundo em que todas as pessoas, incluindo as pessoas com deficiência, possam desfrutar de oportunidades iguais, ter uma voz na tomada de decisões e realmente usufruir da vida económica, social, política e cultural.” 

Existem 1 bilhão de pessoas com deficiência no mundo, Unifeed Video

Eventos 

Esta semana, a ONU acolhe a Conferência dos Estados Partes da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência em simultâneo com 13ª sessão da Conferência dos Estados-Partes da Convenção de Direitos das Pessoas com Deficiência.  

De acordo com a ONU, mesmo em circunstâncias normais, as pessoas com deficiência têm menos probabilidade de ter acesso a cuidados de saúde, educação, emprego e de participar na comunidade.  

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, está marcando o Dia Internacional com um programa de uma semana. O tema é "Reconstruindo melhor: rumo a um mundo pós-Covid-19 inclusivo, acessível e sustentável por, para e com pessoas com deficiências". 

A agência também realiza uma campanha global com o lema “Conte nossas histórias, habilite nossos direitos”, focada no impacto da pandemia. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Dia Internacional das Pessoas com Deficiência marcado por apelos para mais inclusão e representatividade 

Secretário-geral quer que indivíduos e organizações de apoio sejam mais ouvidos; para senadora brasileira Mara Gabrilli, crise de saúde causada pela pandemia expõe ainda mais as desigualdades e vulnerabilidades.