Guterres incentiva ação dos envolvidos na Guiné-Bissau para implementar decisões da Cedeao
BR

25 abril 2020

Líderes regionais decidiram reconhecer Úmaro Sissoco Embaló como vencedor das eleições presidenciais de dezembro passado; Nações Unidas reiteram que continuarão acompanhando os guineenses nos seus esforços para consolidar a paz.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse ter tomado nota da decisão dos líderes regionais da África Ocidental de reconhecimento de Úmaro Sissoco Embaló como vencedor das eleições presidenciais de dezembro de 2019 na Guiné-Bissau.

A medida foi tomada pela Autoridade de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental, Cedeao, na quarta-feira.

Decisões 

O Escritório Integrado da ONU para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau, Uniogbis, foi estabelecido em 1999 e deve ser encerrado no final de 2020, by ONU News/Alexandre Soares

Em nota emitida pelo seu porta-voz, em Nova Iorque,  Guterres encoraja todos os atores da Guiné-Bissau a trabalharem de maneira inclusiva e construtiva na implementação das decisões relevantes da Cedeao. 

O chefe da ONU menciona, em particular, a decisão sobre a nomeação de um -primeiro ministro e a formação de um novo governo, “em total conformidade com a Constituição, e tendo em conta os resultados das as eleições legislativas de março de 2019.”

Gabinete

Umaro Sissoco Embaló  foi declarado vencedor do pleito pela Comissão Nacional de Eleições, CNE, e tomou posse em 27 de fevereiro em “cerimônia simbólica”. Horas depois, ele demitiu o governo formado em eleições democráticas realizadas onze meses antes e nomeou um novo primeiro-ministro que apresentou um novo gabinete.
 
Guterres termina a nota reafirma o compromisso das Nações Unidas de continuar a acompanhar os guineenses nos seus esforços para consolidar a paz, a democracia e o desenvolvimento sustentável.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Mesmo com poucos casos, Guiné-Bissau deve seguir vigilante contra covid-19, diz OIM

Com 40 notificações até 14 de abril, país de língua portuguesa é um dos menos afetados no oeste da África; agência da ONU diz que várias nações da região já iniciaram enfrentamento à pandemia. 

FMI: Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe têm dívida aliviada para combater covid-19

Medida ajudará a liberar fundos para um total de 25 nações; instituição quer mais recursos para iniciativa que pode fornecer cerca de US$ 500 milhões em alívio da dívida em doações.