Mesmo com poucos casos, Guiné-Bissau deve seguir vigilante contra covid-19, diz OIM
BR

20 abril 2020

Com 40 notificações até 14 de abril, país de língua portuguesa é um dos menos afetados no oeste da África; agência da ONU diz que várias nações da região já iniciaram enfrentamento à pandemia. 

A Organização Internacional para Migrações, OIM, está apoiando o governo da Guiné-Bissau na ação para enfrentar a pandemia de covid-19. A agência está oferecendo suporte nas áreas de vigilância, treinamento e comunicação de risco.

No mês passado, a OIM lançou uma série de dados e monitoramento para obter informações relevantes como triagem de passageiros em todos os pontos de entrada incluindo o aeroporto de Bissau, Osvaldo Vieira. 

Na Guiné-Bissau, Os organizadores também querem combater estigmas e preconceitos que têm evitado muitas pessoas de realizarem o teste contra a doença. Foto: Pnud/Slingshot

Essencial 

Cerca de 30 agentes guineenses integraram a inciativa.  A comunicação é essencial para conter a contaminação com o novo coronavírus.  A OIM estendeu o treinamento a 125 líderes comunitários nos arredores das localidades de Gabu, Oio e Bafata.  Dentre os líderes formados estão ainda chefes de vilarejos e outros administradores locais, além de agentes de saúde, curandeiros, padres, imãs e pessoal das rádios comunitárias.  

Boatos

Uma das preocupações da OIM é com a desconstrução de mitos e boatos sobre a covid-19 e como o vírus é transmitido. Em algumas comunidades, há relatos de curas milagrosas e promessas contra a doença.  Algumas pessoas são levadas a crer que banho de mar, por causa da salinidade da água, pode evitar a doença ou até mesmo ingerir suco de limão.  O treinamento incluiu ainda material educativo para distribuição e alguns folhetos. 

ONU News/Alexandre Soares
Jovem nas bolanhas de Bissau

Teste

Os organizadores também querem combater estigmas e preconceitos que têm evitado muitas pessoas de realizarem o teste contra a doença. 

A OIM tem atuando com países africanos para combater doenças graves incluindo o ebola. 

A chefe da OIM na Guiné-Bissau, Laura Amadori, disse que a agência está atuando com as autoridades do país para conter a disseminação do novo coronavírus.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Coordenador da ONU reúne-se com presidente de Angola para abordar resposta a pandemia

Nações Unidas alteraram Quadro de Cooperação com o país para disponibilizar US$ 12,5 milhões de imediato e ajudar resposta do governo; até sexta-feira, país lusófono tinha 19 casos confirmados de covid-19, com duas vítimas mortais.

Covid-19: África pode somar 300 mil mortes como impacto da pandemia

Pelo menos 27 milhões de pessoas devem cair na pobreza extrema como efeito da doença; continente precisa de US$ 100 bilhões para apoiar economias; Pnud faz parte de nova parceria para travar o novo coronavírus.