Dia Internacional da Língua Materna promove ausência de fronteiras para os idiomas
BR

21 fevereiro 2020

Diversidade linguística está sendo ameaçada com desaparecimento das línguas e falta de acesso à educação no idioma original; mundo digital abriga menos de 100 línguas; secretário de Cultura da Guiné-Bissau fala à ONU News sobre planos de tornar o crioulo, língua oficial.

O mundo tem aproximadamente 6 mil línguas e 43% delas estão sob risco. O dado é da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco.

Neste 21 de fevereiro, a Unesco celebra o Dia Internacional da Língua Materna sob o tema “Línguas Sem Fronteiras”.

Acesso

A agência afirma que a diversidade linguística está sendo ameaçada com o desaparecimento da mais e mais línguas. Em todo o mundo, 40% da população não têm acesso à educação no idioma que falam ou entendem.

A transmissão de culturas, tradições e costumes também sofre quando sociedades que abrigam várias línguas deixam de existir. A cada duas semanas, uma língua desaparece levando consigo todo um patrimônio histórico-cultural.

Com a globalização, muitos idiomas ficam relegados a segundo plano. E quando uma língua começa a desvanecer, desaparece com ela também a riqueza de culturas e etnias. A morte de uma língua enterra ainda formas de pensar, expressões, memórias e oportunidades numa maneira de ver o mundo.

ONU News/Alexandre Soares
Segundo o secretário da Cultura da Guiné-Bissau, de acordo com o último censo de 1999, 98% da população se comunica em língua crioula.

Crioulo

O resgate da identidade é uma das razões que levaram o atual secretário da Cultura da Guiné-Bissau a propor que o crioulo seja língua oficial no país.  Nesta entrevista exclusiva à ONU News, de Bissau, António Spencer Embaló explica o porquê da iniciativa.

“Porque já é língua nacional, já é língua de namoro. Já é língua de transação econômica. Já é língua até de trabalho. Então, falta essa oficialização. E essa oficialização nos trará depois o reconhecimento, o reconhecimento oficial do Estado da Guiné-Bissau e o reconhecimento também dos nossos parceiros como patrimônio imaterial, que nos une como guineenses.”

Na Guiné-Bissau como nos demais países que foram, um dia, colônias de Portugal, o português é a língua oficial. Dezenas de línguas são faladas nessas nações ao lado do português, que é ensinado nas escolas.

Segundo a Unesco, poucas centenas de línguas conseguiram um espaço em sistemas educacionais. Mas menos de 100 são usadas no mundo digital.

Unicef/Pirozzi
Na Guiné-Bissau como nos demais países que foram, um dia, colônias de Portugal, o português é a língua oficial.

Diversidade

No caso da Guiné-Bissau, dados oficiais indicam que há mais de três dezenas de línguas locais, como contou o secretário Spencer Embaló.

“Uma das nossas maiores riquezas é o facto de, praticamente, todos os grupos étnicos na Guiné-Bissau são representados também com a sua própria língua. Significa que o último recenseamento geral da população aponta 32 grupos étnicos.  Podemos assumir que temos 32 línguas maternas.”

O secretário guineense lembrou que o crioulo nasceu como uma língua urbana, “mas foi se transformando numa língua nacional”.

Segundo ele, de acordo com o último censo de 1999, indicou que “98% da população comunicam-se em língua crioula”.

De acordo com António Spencer Embaló, a proposta de oficialização do crioulo deve ser levada agora ao Conselho de Ministros do país que então encaminhará o texto para o Parlamento, onde se tornará um projeto de lei, se for endossado pelos ministros.

A Unesco ressalta que as línguas são vitais para a identidade, a comunicação, a integração social, educação e desenvolvimento.  A agência da ONU afirma que o processo de globalização tem colocado as línguas sob ameaça de desaparecimento.

Dia Mundial da Língua Materna é marcado desde 2000 pela Unesco para promover a diversidade cultural e o multilinguismo.

Em 2002, a Assembleia Geral decidiu declarar 21 de fevereiro Dia Internacional.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Cabo Verde diz que Dia Mundial da Língua Portuguesa ajuda a projetar a língua

País ocupa presidência rotativa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp; Unesco oficializou 5 de maio como Dia Mundial do idioma, na segunda-feira.

Unesco elege 5 de maio como Dia Mundial da Língua Portuguesa; Cplp celebra

Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura anunciou decisão nesta segunda-feira em sua sede em Paris; primeiro-ministro de Portugal, António Costa, compareceu à agência da ONU acompanhado de outros membros do governo.