Alta comissária dos Direitos Humanos visita República Democrática do Congo
BR

22 janeiro 2020

Michelle Bachelet chega no país africano esta quinta-feira para visita de cinco dias; ela vai se reunir com deslocados pela violência e organizações da sociedade civil; na capital, Kinshasa, terá reunião com presidente Félix Tshisekedi.

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, chega à República Democrática do Congo esta quinta-feira para uma visita de cinco dias, a convite do governo.

A representante começa a visita em Bunia, na província de Ituri, no nordeste do país, que tem sido afetada pela violência entre os grupos Lendu e Hema.

Força de paz da ONU na República Democrática do Congo tem um contingente total de 15% de mulheres, ONU/Michael Ali

Violência

Nessa cidade, Bachelet encontrará deslocados pela violência e representantes dos grupos Lendu e Hema. Ela terá ainda encontros com vítimas de tortura e violência sexual, bem como representantes do governo local.

Segundo um relatório do Escritório Conjunto das Nações Unidas para os Direitos Humanos, divulgado em janeiro, assassinatos, estupros e outras formas de violência que ocorreram na região podem representar crimes contra a humanidade. 

A pesquisa diz que pelo menos 701 pessoas foram mortas e 168 feridas durante conflitos entre as comunidades Hema e Lendu, nos territórios de Djugu e Mahagi, no nordeste da RD Congo, entre dezembro de 2017 e setembro de 2019. Além disso, pelo menos 142 pessoas foram vítimas de violência sexual.

Desde fevereiro de 2018, quase 57 mil pessoas encontraram refúgio no Uganda e mais de 556 mil fugiram para regiões vizinhas, de acordo com a agência das Nações Unidas para os Refugiados, Acnur. Vários campos e aldeias onde os Hema se refugiaram foram invadidos, queimados e destruídos pelos grupos armados de Lendu.

Encontros

Na sexta-feira, Bachelet parte para a capital do país, Kinshasa, para três dias de encontros com autoridades nacionais. A alta comissária terá reuniões com os ministros dos Negócios Estrangeiros, da Defesa e Justiça, Direitos Humanos, Crianças e Famílias, entre outros.

A representante encontrará ainda a Comissão Nacional de Direitos Humanos, organizações da sociedade civil, chefes de agências da ONU no país, a representante especial do secretário-geral, Leila Zerrougui, e funcionários da Missão da ONU, Monusco.

No último dia da viagem, segunda-feira, 27 de janeiro, ela terá uma reunião com o presidente Félix Tshisekedi.

A Missão da ONU acaba de receber um novo comandante, o general brasileiro Costa Neves.

Monusco
Tropas de paz da Missão das Nações Unidas na RD Congo, Monusco, patrulham Ituri

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

General Costa Neves fala sobre planos para a maior missão de paz da ONU

No dia 22 de janeiro, o general Costa Neves assume o comando na Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo, a Monusco. Em entrevista exclusiva para a ONU News, o militar brasileiro fala sobre os planos para comandar a maior missão de paz da ONU no mundo com 14 mil integrantes.