Agência da ONU lança Desafio de Inovação para os Oceanos
BR

15 janeiro 2020

Reconhecendo urgência crescente de combate à poluição dos oceanos, Pnud lançou concurso que busca ideias de inovações transferíveis, replicáveis e escaláveis; iniciativas vencedoras receberão subsídios entre US$ 50 mil e US$ 250 mil; inscrições encerram em 5 de março.

O movimento pela proteção e restauração dos oceanos se acelerou rapidamente desde a Conferência dos Oceanos, em 2017. Entretanto, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud,  o cumprimento de algumas metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de número 14, que aborda a vida na água, ainda está atrasado.

A agência da ONU alerta que os oceanos nunca enfrentaram uma gama tão diversa de ameaças. Foto: Dia Mundial dos Oceanos da ONU/Renee Capozz

A agência da ONU alerta que em meio à pesca excessiva, à poluição, à perda de habitat natural e aos múltiplos impactos da mudança do clima nos ecossistemas marítimos, os oceanos nunca enfrentaram uma gama tão diversa de ameaças.

Oceanos

Devido ao atual cenário, o Pnud lançou o Desafio de Inovação para os Oceanos, OIC, na sigla em inglês. O objetivo é acelerar o alcance das metas do ODS 14.

O desafio busca inovações transferíveis, replicáveis e escaláveis, que receberão subsídios entre US$ 50 mil e US$ 250 mil. Entre os focos da proposta está a redução da poluição.

O administrador da agência, Achim Steiner, explicou que num momento “em que os oceanos e mares do mundo enfrentam pressões sem precedentes, o novo Desafio de Inovação para os Oceanos do PNUD chamará a atenção para abordagens inovadoras, empreendedoras e criativas que podem fazer avançar a restauração e a proteção costeira dos oceanos.”

O representante acredita que “apoiar a economia azul dessa maneira pode ajudar no cumprimento do ODS 14, ao mesmo tempo em que estimula o desenvolvimento econômico e ajuda a reduzir a pobreza e as desigualdades.”

Conferência sobre Oceanos

De acordo com o Pnud em atividades desde a pesca à aquicultura e à agricultura industrial, o cenário de modelos tradicionais de negócio não permitirá as transformações necessárias para o uso verdadeiramente sustentável dos oceanos. Neste contexto, o enviado especial do secretário-geral da ONU para os Oceanos, Peter Thomson, disse que a Conferência sobre Oceanos, que se realizará entre 2 e 6 de junho, em Lisboa, “terá especial importância no apoio à implementação do ODS 14.”

Thompson destacou que para se cumprir este objetivo, é preciso “abrir novos caminhos com tecnologias, políticas, normas e instrumentos financeiros inovadores.” O prazo para inscrição encerra no dia 5 de março.

Informações Gerais sobre o Desafio

  • As inovações a serem submetidas podem incluir ações tecnológicas e de ponta no âmbito de políticas, regulamentação, finanças e economia, assim como outras ações voltadas para setores com base marítima ou territorial.
  • Os projetos podem ser submetidos por entidades públicas ou privadas, incluindo governos, empresas, ONGs, organismos da ONU, instituições acadêmicas e organizações ntergovernamentais.
  • O Desafio deve ser implementado e ter beneficiários em países em desenvolvimento, mas podem ser desenvolvidos por proponentes de países desenvolvidos ou em desenvolvimento.

Acesse o site www.oceaninnovationchallenge.org e saiba mais sobre o desafio. Para mais informações sobre o tema no âmbito da Agenda 2030, confira o glossário de termos e definições do ODS 14.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Secretário-geral participa no lançamento de Lisboa como “Capital Verde” da Europa

António Guterres foi recebido pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (foto); na segunda-feira, ele estará na França para discursar em encontro com líderes europeus e africanos; subsecretária-geral para Assuntos Políticos e de Consolidação da Paz também embarca em missão pela África Ocidental, passando pela Guiné-Bissau na próxima semana.

Conferência sobre Oceanos em Lisboa 2020 abre “super ano” de temas ambientais

ONU Meio Ambiente espera que países adotem ação climática com base científica e façam compromissos voluntários; agência alerta sobre perda de espécies, em taxas mil vezes maior, do que em qualquer momento da história.