Projeto na Malásia aplica tecnologia para detectar pesca com bomba BR

A pesca com bomba destrói os corais e o habitat que fornece o sistema de suporte de vida para espécies que habitam os recifes de corais.
Scubazoo
A pesca com bomba destrói os corais e o habitat que fornece o sistema de suporte de vida para espécies que habitam os recifes de corais.

Projeto na Malásia aplica tecnologia para detectar pesca com bomba

Clima e Meio Ambiente

Segundo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente prática ilegal destrói corais e é extremamente perigosa; falha em lidar com essa técnica exacerba a pobreza e transforma um problema ambiental em um risco de segurança.

A pesca com bomba, também conhecida como pesca com explosivos, é uma das formas mais destrutivas da atividade pesqueira. Ela mata de forma indiscriminada todos os animais na área explodida, de ovos de peixes e plâncton a baleias e golfinhos.

A prática também é uma ameaça cada vez maior aos recifes de coral e para as pessoas que dependem deles para sobreviver. Ela é ilegal no mundo, mas continua ocorrendo por causa das dificuldades em detectar, responder e pegar os infratores.

Malásia

Segundo o chefe da Unidade de Recifes de Coral do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, Jerker Tamelander, a “pesca com explosivos é um método extremamente imediatista porque destrói os corais dos quais dependem os pescadores.” Fora isso, a prática também é “extremamente perigosa para os próprios pescadores porque as bombas podem explodir antes da hora.”

Uma das regiões afetadas pelo método é Sabah, um estado no norte da Malásia. O membro fundador da ONG Stop Fish Bombing, Pare com a Pesca com Bomba na tradução livre em português, George Woodman, disse que a primeira vez que presenciou a prática foi em 1994 durante um trabalho de pesquisa.

Ele contou que em uma “área de alguns quilômetros, uma pesca com bomba passa a sensação de se ter levado uma patada de um cavalo no peito.”

Risco para o turismo

Outro membro da ONG, Terence Lim, alertou que se o método continuar a região “perderá não somente a capacidade de produzir populações de peixe selvagem, mas terá efeitos dramáticos na indústria do turismo”, a qual é a segunda maior fonte de renda da área. 

Fish bombing is an escalating threat to coral reefs, and to the people who depend on them for their livelihoods.

It destroys fish habitats among reefs already threatened by overfishing & #climatechange. It’s time to #stopfishbombing 🛑 https://t.co/dHDYly4kWI

— UN Environment (@UNEnvironment) February 21, 2019

Para ajudar a detectar a pesca com bomba em baixo d’água, a ONG apoiou a empresa californiana ShotShopper na adaptação de uma tecnologia de localização.

ODSs

Através da iniciativa, a ONG e parceiros como o Fundo Mundial da Natureza, WWF, e a Reef Check Malásia, também desenvolveram um documento com novas políticas para ajudar o governo de Sabah a promover ações de apoio ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 14. Este ODS foca na conservação e uso sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.  

O projeto foi registrado como um compromisso voluntário do governo do estado de Sabah como parte da Comunidade de Ação Oceânica, COA, formada após a Conferência dos Oceanos das Nações Unidas em 2017.

Restauração

Para o Pnuma, o uso desta tecnologia de localização e sensoriamento acústico, combinada com sistemas de vigilância e monitoramento existentes e emergentes, oferece a possibilidade de construir um sistema de detecção global eficaz. É uma oportunidade para diminuir ou até mesmo erradicar o bombardeio de peixes em um curto espaço de tempo.

Infelizmente, técnicas de restauração de recifes de coral ainda estão em estágio inicial e não existem técnicas alternativas de baixo custo. Por isso, a agência da ONU destaca que a prevenção é a única opção plausível.

Para o Pnuma, a mudança é possível através de medidas brandas como o desenvolvimento comunitário e medidas duras como a aplicação da lei.

A falha em lidar com a pesca com bomba exacerba a pobreza e transforma um problema ambiental em um risco de segurança.