Exposição sobre arte recuperada destaca importância de patrimônio cultural BR

Visitante da exposição junto de um dos quadros recuperados pelas forças italianas
ONU News/Alexandre Soares
Visitante da exposição junto de um dos quadros recuperados pelas forças italianas

Exposição sobre arte recuperada destaca importância de patrimônio cultural

Cultura e educação

Esculturas de Palmira, pinturas renascentistas, ânforas antigas e um livro do período do Iluminismo foram recuperados por unidade especializada da polícia italiana; secretário-geral disse que iniciativa mostra poder da cooperação internacional.  

Abriu esta terça-feira, na sede da ONU em Nova Iorque, a exposição “Tesouros Recuperados – A Arte de Salvar Arte”. As obras podem ser vistas até 17 de janeiro.

A iniciativa da Missão da Itália marca os 75 anos das Nações Unidas e inclui 15 obras-primas recuperadas por uma unidade especializada da polícia italiana.

Aspeto da exposição organizada pela Missão de Itália junto da ONU
Aspeto da exposição organizada pela Missão de Itália junto da ONU, ONU News/Alexandre Soares

História

A unidade do Comando Carabinieri para a Proteção do Patrimônio Cultural foi a primeira do gênero no mundo. Fundada em 1969, celebrou 50 anos no ano passado com a abertura desta mesma exposição em Roma.

As obras em exibição foram todas recuperadas pelos Carabinieri, incluindo uma escultura da cidade síria de Palmira, pinturas renascentistas, ânforas antigas e um manuscrito do século XV.

Durante a exibição de duas semanas, oficiais do Comando Carabinieri oferecerão visitas guiadas especialmente a estudantes.

Importância

Na abertura, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que a exposição “não inclui apenas obras de arte de valor inestimável, mas também mostra o poder da cooperação internacional.”

O chefe da ONU afirmou que “foi doloroso ver quanta herança cultural da humanidade se perdeu nos últimos anos, do Iraque à Síria, do Iêmen ao Mali e ao Afeganistão.”

Ele destacou uma série de desafios, como crise climática, conflito armado e terrorismo, mas disse que a resposta é mais cooperação internacional.

Guterres destacou ainda o trabalho da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, e a importância da Convenção sobre Tráfico Ilícito de Bens Culturais, que completa 50 anos em 2020.

Para terminar, ele agradeceu ao governo da Itália por compartilhar seu conhecimento e por “priorizar a herança e a cultura como ferramentas para a paz e o diálogo.”

Exposição sobre arte recuperada destaca importância de patrimônio cultural