Em Dia Internacional da Educação, ONU celebra resiliência em face à pandemia
BR

24 janeiro 2021

Secretário-geral diz em mensagem de vídeo que apesar das inovações no ensino a distância, pandemia frustra esperanças de um futuro melhor entre os mais vulneráveis; cerca de 1 bilhão de alunos continuam afetados por fechamento total ou parcial dos colégios.

As Nações Unidas marcam neste 24 de janeiro, o Dia Internacional da Educação. Em mensagem, o líder da ONU, António Guterres, disse que o fechamento de escolas e a interrupção causada pela Covid-19 afeta a todos, especialmente alunos, professores e as famílias dos estudantes.

Este ano, o lema é: Recuperar e Revitalizar a Educação para a Geração da Covid-19.

Planeta

Guterres afirma que neste terceiro Dia Internacional da Educação, a homenagem deve ser à resiliência das pessoas que em meio a uma pandemia foram obrigadas a deixar de frequentar as escolas, universidades e outras instituições de ensino que tiveram que fechar suas portas. 

Para o secretário-geral, a suspensão das aulas presencias levou a inovações no aprendizado, mas também frustrou esperanças de um futuro melhor entre os mais vulneráveis.

Guterres lembra que “a educação é fundamental para ampliar oportunidades, transformar economias, combater a intolerância”, proteger o planeta e cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Unicef/Brian Otieno
Menina estudando em casa, em Nairobi, devido a fechamento de escolas

Cooperação

Segundo a ONU, mesmo antes da crise do novo coronavírus, cerca de 258 milhões de crianças e adolescentes estavam fora da escola, a maioria meninas. E mais da metade dos alunos com 10 anos de idade em países de baixa e média rendas não conseguiam aprender a ler um texto simples.

Para Guterres, este ano de 2021 é o momento de reverter este quadro e garantir
a reposição total do fundo da Parceria Global para a Educação e fortalecer a cooperação educacional em nível mundial.

Ele afirma que a educação tem que ser para todos.

© Unicef
Unesco revela que mais da metade da população mundial ainda está afetada por fechamentos parcial ou total das escolas

Fechamento

Em nota separada, a Unesco revela que mais da metade da população mundial ainda está afetada por fechamentos parcial ou total das escolas.

A agência da ONU deve realizar celebrações virtuais em parceria com a entidade Global Minnesota nos Estados Unidos. A diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, se juntará a professores, educadores e legisladores para refletir sobre a educação com um direito humano, um bem público e uma responsabilidade pública.

No ano passado, a pandemia causou a suspensão e o fechamento das escolas afetando 1,6 bilhão de estudantes em mais de 190 países.
Com a segunda fase de contaminações em massa do vírus, cerca de 1 bilhão de alunos continuam afetados com fechamentos.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Unicef diz que crianças não podem suportar mais um ano fora da escola 

Em comunicado, chefe da agência da ONU, Henrietta Fore, afirma que já há provas de que os colégios não são transmissores da pandemia; segundo ela, outro ano letivo nessas condições terá consequências para as próximas gerações. 

Pandemia realçou importância do braille para pessoas com deficiência 

Vida em confinamento tem causado dificuldades de independência e isolamento para quem vive com deficiência visual; em entrevista à ONU News, secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência de Portugal disse que crise de saúde ajudou a perceber a importância de ferramentas acessíveis.