Agência da ONU faz parceria com hospital infantil para combater câncer
BR

19 outubro 2019

Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, anunciou cooperação com o Hospital de Pesquisa para Crianças St. Jude, dos Estados Unidos; iniciativa atende países em desenvolvimento, onde as crianças têm quatro vezes mais chance de morrer da doença que em nações desenvolvidas.

Uma parceria para vencer o câncer. Esta é a proposta da Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, e do Hospital de Pesquisa para Crianças St. Jude.

Na sexta-feira, eles selaram um acordo para chamar a atenção para o câncer infantil e mobilizar recursos para criar serviços de medicina nuclear e de radiação.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, revela que o câncer infantil é uma das maiores causas de mortes de crianças e adolescentes em todo o mundo. Foto: Aiea

Radioterapia

O hospital, com sede nos Estados Unidos, e a agência da ONU, vão concentrar a parceria em países em desenvolvimento, onde crianças com câncer têm quatro vezes mais chances de morrer que meninos e meninas com a doença em nações desenvolvidas. O maior desafio é a falta de tratamento acessível e opções para cuidados de qualidade.

O novo acordo também pretende aumentar o número de profissionais de radioterapia e apoiar a pesquisa em radiação oncológica pediátrica.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, revela que o câncer infantil é uma das maiores causas de mortes de crianças e adolescentes em todo o mundo. Ao todo, são 300 mil novos casos todos os anos.

Renda alta

Em países de rendas baixa e média apenas 20% dos pacientes infantis são curados. Em nações de renda alta este número é maior que 80%.

A disparidade se deve ainda a diagnósticos tardios, tratamentos caros e falta de equipamentos e pessoal médicos.

O diretor-geral interino da agência, Cornel Feruta, lembrou que o Hospital St.Jude é um parceiro antigo da Aiea, e que juntos pretendem cooperar para aumentar o apoio aos países em desenvolvimento para aumentar os serviços para crianças.

Os tipos de câncer mais frequente em crianças são leucemia, câncer no cérebro, linfomas e tumores sólidos. Geralmente, as crianças precisam de tratamento mais intensivo e mais longos que os adultos, ao mesmo tempo em que recebem cuidados para aliviar o fardo das terapias.

Sobrevivência

O vice-presidente-executivo do Hospital St. Jude, Carlos Rodríguez-Galindo, disse que a radiação oncológica é fundamental para o tratamento de câncer em crianças. Ele afirmou que o hospital tem um compromisso de reduzir as brechas no acesso ao tratamento, independentemente de onde vivam as crianças.

Para ele, a parceria com a Aiea vai ajudar a levar essa tecnologia a quem precisa.

O Hospital St. Jude é o único centro abrangente para o tratamento de câncer infantil nos Estados Unidos. Desde que o estabelecimento abriu há 50 anos, as taxas de sobrevivência das crianças no país subiram de 20% para 80%.

A Aiea tem apoiado os países no uso da medicina e radiação nucleares para combater a incidência de doenças crônicas como o câncer. A agência assiste os países-membros com compra de equipamento, pesquisa e treinamento de pessoal de saúde nesta área.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

OMS atualiza lista de orientações sobre medicamentos e diagnósticos

Medida pretende ajudar a enfrentar desafios de saúde e tornar preços acessíveis; novos itens têm foco em câncer e outros desafios globais de saúde; atualmente 150 países usam a Lista de Medicamentos Essenciais da OMS.

Países de alto rendimento têm até três vezes maior incidência de câncer

Novo relatório da Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer ou Cancro foi publicado esta sexta-feira; menos de 25% da população mundial tem acesso a cirurgias de câncer básicas e de alta qualidade.