215 mil crianças diagnosticadas com câncer todos os anos

15 fevereiro 2019

Dados são da Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer ou Cancro, Iarc; esta sexta-feira, 15 de fevereiro, marca o Dia Internacional de Combate ao Câncer Infantil.

Estima-se que, todos os anos, sejam diagnosticados cerca de 215 mil casos de câncer, ou cancro, em crianças com menos de 15 anos. Cerca de 85 mil pessoas entre os 15 e os 19 anos recebem o mesmo diagnóstico.

Os dados são da Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer ou Cancro, Iarc. Esta sexta-feira, 15 de fevereiro, marca o Dia Internacional de Combate ao Câncer Infantil.

Tratamento

Menina recebe vacina contra o vírus do papiloma humano, HPV, by Opas

Em nota, a Iarc diz que “o câncer continua sendo raro em crianças.”

Em países de alta renda, 80% dos pacientes podem ser curados. Quando existem poucos recursos, as taxas de sobrevivência descem para apenas um quarto deste valor.

Entre as causas estão a falta de conhecimento dos profissionais de saúde, bem como a falta de infraestruturas e instalações de diagnóstico e tratamento. A agência afirma que “o país de residência é a melhor forma de prever resultados para crianças com câncer.”

Em comparação com adultos, as crianças são afetadas por diferentes tipos desta doença. Quase metade dos casos acontece nas células sanguíneas, como leucemia e linfoma. Outros tipos comuns são tumores do sistema nervoso central.

Parceria 

Para ajudar a combater este problema, a Iarc faz agora parte da recém-formada Iniciativa Global para Câncer Infantil da Organização Mundial de Saúde, OMS.

Esta iniciativa procura reduzir as desigualdades no acesso ao diagnóstico e na qualidade do tratamento, bem como melhorar os resultados do tratamento para todas as crianças, especialmente as que vivem em países com recursos limitados.

A Iarc explica que dados sobre o tema são fundamentais para entender e combater a doença. Apesar disso, estes recursos são escassos em muitos países e regiões.

Recursos

Na África, por exemplo, informações sobre taxas desta doença em crianças estão disponíveis para apenas 5% da população total. Dados sobre sobrevivência são ainda mais escassos.

Em nota, a cientista da Iarc Eva Steliarova-Foucher explicou que a agência  “oferece um valioso apoio técnico para ajudar os países a construir sistemas de informação e usar dados sobre incidência, sobrevivência e mortalidade.”

No âmbito da Iniciativa Global, a Iarc irá ajudar a identificar barreiras e desafios e recomendará novas abordagens para melhorar a qualidade destes dados.

A diretora da Iarc, Elisabete Weiderpass, disse que “muitos países desconhecem a extensão do peso do câncer infantil.” Segundo ela, “a falta de dados de alta qualidade impede que os governos identifiquem políticas eficientes de saúde pública e respondam às necessidades dos pacientes.”

A Iniciativa Global pretende alcançar uma taxa de sobrevivência de pelo menos 60% para crianças em todo o mundo até 2030. Essa meta representa cerca do dobro da taxa de sobrevivência atual, o que pode salvar cerca de 1 milhão de vidas na próxima década.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Opas traça retrato da saúde na região das Américas

Desnutrição crônica afeta 10% das crianças menores de cinco anos; gastos com saúde pública no Brasil em 2015 foi de 3,8% do PIB, comparado com 4,9% na Argentina e no Chile e 6,4% no Uruguai.

Conheça as 10 ameaças à saúde que a ONU combaterá em 2019

A Organização Mundial da Saúde reuniu uma lista dos maiores desafios que o mundo enfrenta este ano; ebola, poluição, resistência antimicrobiana, dengue e vacinação estão entre os principais.