Doadores internacionais prometem US$ 14 bilhões para acabar com epidemias até 2030
BR

10 outubro 2019

Compromissos foram feitos em França para financiar Fundo Global; dinheiro será investido na luta contra HIV/Aids, tuberculose e malária; fundos devem ajudar a salvar 16 milhões de vidas.  

Doadores internacionais prometeram esta quinta-feira mais de US$ 14 bilhões para acabar com as epidemias de HIV/Aids, tuberculose e malária até 2030.

Os compromissos foram feitos em Lyon, França, durante a 6ª Conferência de Reabastecimento do Fundo Global. Esta é a maior quantia alguma vez prometida pelo Fundo.

Esforços

O dinheiro deve ser distribuído nos próximos três anos e ajudar a salvar 16 milhões de vidas. Desde o início do Fundo Global, em 2002, os seus programas de prevenção, tratamento e assistência salvaram mais de 32 milhões de vidas.

No encontro, o presidente da França, Emmanuel Macron, pediu aos parceiros que aumentassem seus compromissos em pelo menos 15%. No final do dia, o chefe de Estado e o empresário Bill Gates anunciaram um compromisso extra da França e da Fundação Bill e Melinda Gates para ultrapassar os US$ 14 bilhões.

Em nota, o diretor executivo do Fundo Global, Peter Sands, disse que "todos na sala sentiram o poder da comunidade global se unindo para falar numa só voz.”

Promessas

Durante o encontro, muitos doadores aumentaram as promessas anunciadas anteriormente. O Congresso dos Estados Unidos, por exemplo, irá contribuir com US$ 1,5 bilhão por ano, mantendo uma parcela de 33% de todas as contribuições.

A França aumentou sua contribuição em 20%. O Reino Unido, a Alemanha, o Canadá e a União Europeia também prometeram aumentar os fundos de ajuda entre cerca de 16% e 18%.

Pela primeira vez, as promessas de doadores privados ultrapassaram a marca de US$ 1 bilhão. O esforço foi liderado pela Fundação Bill & Melinda Gates, que prometeu US$ 760 milhões.

O Fundo Global, que é parceiro das Nações Unidas, também expandiu sua base de doadores, com 20 novos doadores.

A vice-secretária geral da ONU, Amina Mohammed, entregou uma mensagem do secretário-geral, António Guterres, explicando como os investimentos do Fundo Global são importantes para atingir as metas da Agenda 2030 sobre saúde, pobreza e desigualdade.

Encontro

A conferência reuniu líderes de todo o mundo, incluindo chefes de Estado e de Governo, vencedores do Prêmio Nobel da Paz, presidentes de empresas e fundações e representantes da sociedade civil.

Maurine Murenga foi diagnosticada com HIV no início dos anos 2000 e faz hoje parte do Conselho de Administração do Fundo Global.

Falando aos participantes, ela disse que muitas pessoas, como ela, estão vivas graças ao Fundo Global, mas “milhões ainda estão morrendo sem necessidade porque não têm acesso a esses programas.”

Murenga afirmou que são precisos iniciativas específicas para meninas e mulheres. Segundo ela, “é inaceitável que mulheres e meninas na África subsaariana ainda sejam duas vezes mais vulneráveis ​​ao HIV.”

Discursando na conferência, Bill Gates disse que o resultado da conferência era “uma conquista incrível." Ele disse que há 20 anos, quando estas epidemias estavam no seu auge, ninguém podia imaginar um dia como esse.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ESPECIAL: metade dos pacientes com HIV pararam tratamento em áreas afetadas por ciclones em Moçambique

País lusófono tem segunda maior incidência do vírus em África; desastres naturais destruíram centros de saúde, arquivos de pacientes e material hospitalar; nova série da ONU News apresenta resposta a ciclones de 2019 e esforços de reconstrução.*