Nações Unidas condenam ataques terroristas que mataram sete pessoas em Mogadíscio

Mulher passa por uma ambulância nas instalações do Hospital Benadir em Mogadíscio, Somália.
ONU/Ilyas Ahmed
Mulher passa por uma ambulância nas instalações do Hospital Benadir em Mogadíscio, Somália.

Nações Unidas condenam ataques terroristas que mataram sete pessoas em Mogadíscio

Paz e segurança

Líder municipal da capital somali, Abdirahman Omar Osman, foi atingido quando estava no seu escritório; representante especial do secretário-geral da ONU para a Somália esteve no local horas antes do ato.

As Nações Unidas condenaram com veemência os ataques terroristas que ocorreram na quarta-feira na Somália, em escritórios da Administração Regional de Benadir e nos arredores da Villa Somália em Mogadíscio.

Em nota emitida pelo seu porta-voz, o secretário-geral António Guterres expressa solidariedade às famílias das vítimas do ato, ao povo e ao Governo Federal da Somália.

Líder Municipal

Agências de notícias revelaram que pelo menos sete funcionários do governo foram mortos nos ataques. Entre os feridos estava o líder do governo municipal da capital da Somália, Abdirahman Omar Osman.

Guarda na torre de vigia do complexo da ONU em Mogadíscio, na Somália.

O ato suicida contra o escritório municipal ocorreu momentos após a saída do local do representante especial do secretário-geral da ONU para a Somália, James Swan. A Missão da ONU na Somália, Amisom, disse que a reunião abordou os progressos e desafios da capital somali e arredores.

Alvo

Esta quinta-feira, Swan emitiu uma nota que condena e lamenta o “ataque hediondo”.  O enviado destaca que o ato “não só demonstra um violento desrespeito pela vida humana, mas também teve como alvo somalis que trabalham para melhorar a vida de seus companheiros na região de Mogadíscio-Banadir”.

O representante reiterou ainda que as Nações Unidas estão ao lado do povo e do Governo da Somália na rejeição deste tipo de “atos terroristas”.

A organização sublinha que continua empenhada em apoiar a busca da paz, da estabilidade e do desenvolvimento no país do extremo oriental de África.