Semana de Contraterrorismo na ONU foca em ameaças na era digital BR

Recuperação da economia será mais lenta em nações emergentes.
Foto: ITU/G. Anderson
Recuperação da economia será mais lenta em nações emergentes.

Semana de Contraterrorismo na ONU foca em ameaças na era digital

Paz e segurança

Série de eventos até este 30 de junho aborda desafios numa nova década de transformação tecnológica; comemoração coincide com 15º aniversário da adoção da Estratégia Global de Contraterrorismo das Nações Unidas; evento culmina com encontro de alto nível em Nova Iorque.

Até este 30 de junho, a ONU realiza a segunda Semana de Contraterrorismo com a participação de representantes de governos e entidades da sociedade civil, do setor privado, da academia e parceiros das Nações Unidas.

Os eventos são organizados pelo Escritório de Contraterrorismo e ocorrem no 15º aniversário da adoção da Estratégia Global sobre o tema, aprovada pela Assembleia Geral. 

Ainda que a luta contra o terrorismo tenha obtido sucessos importantes, a ameaça terrorista permanece e se diversifica
Unodc
Ainda que a luta contra o terrorismo tenha obtido sucessos importantes, a ameaça terrorista permanece e se diversifica

11 de setembro

Há 20 anos, o Conselho de Segurança também aprovou a Resolução 1373, logo após os ataques terroristas de 11 de setembro contra os Estados Unidos.

Desta vez, a Semana de Contraterrorismo na ONU culminará com um evento de alto nível, convocado pelo secretário-geral António Guterres, que tem como tema: Enfrentando e Prevenindo o Terrorismo na Era das Tecnologias Transformadoras: Lidando com os Desafios da Nova Década.  A cúpula ocorre de 28 a 30 de junho.

Ainda que a luta contra o terrorismo tenha obtido sucessos importantes, a ameaça terrorista permanece e se diversifica. O tema continuará um dos mais urgentes desafios para a paz e a segurança internacionais.

O secretário-geral propôs cinco áreas de atuação multilateral começando por lançar mão do momento de combate ao terrorismo.
Foto: ONU/Evan Schneider
O secretário-geral propôs cinco áreas de atuação multilateral começando por lançar mão do momento de combate ao terrorismo.

Revisão

Grupos terroristas, extremistas violentos e indivíduos continuam influenciando outros e tentando lucrar com problemas, dificuldades e crises que foram ampliadas com a pandemia da Covid-19 pelo mundo.

A Semana de Contraterrorismo este ano conta com mais de 30 eventos paralelos. A Assembleia Geral também fará a revisão da Estratégia de Contraterrorismo, Gcts, que foi adiada no ano passado por causa da Covid.

A sessão de abertura contou com a participação do secretário-geral António Guterres e do subsecretário do Escritório de Contraterrorismo, Vladimir Voronkov, além de outros representantes.

A Semana de Contraterrorismo é realizada a cada dois anos