Guterres pede reforço de meios para missões de paz da ONU

29 março 2019

Reunião reúne ministros dos Estados-membros que contribuem para missões de manutenção da paz; secretário-geral quer aumentar o número de mulheres militares; formação de militares e polícias é uma das prioridades.  

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou aos Estados-membros que contribuam para reforçar os meios das missões de paz da ONU.

Em discurso perante representantes de mais de 110 países, Guterres explicou que na missão da ONU no Mali, por exemplo, são necessários veículos blindados para garantir a segurança dos capacetes azuis. Desde que a missão foi fundada naquele país, em 2013, já morreram 119 soldados.

De acordo com o chefe da ONU, na República Centro-Africana e em muitas outras missões, são necessários “helicópteros que possam operar 24 horas por dia, 7 dias por semana, para evacuações médicas e de vítimas de áreas remotas.”

Guterres garantiu aos Estados-membros que estes recursos “serão utilizados de forma eficaz e eficiente.”

Parcerias

De acordo com o chefe da ONU em muitas missões são necessários “helicópteros que possam operar 24 horas por dia, 7 dias por semana, para evacuações médicas e de vítimas de áreas remotas.”Foto ONU/ Manuel Elias

O secretário-geral lembrou também que são necessárias mais parcerias entre países com “soluções inovadoras” que potenciem não só equipamentos mas também a formação de profissionais.

Para Guterres, a formação de militares e policias “é essencial para abordar os desafios de manutenção da paz em relação à segurança, à proteção de civis e ao desempenho geral do pessoal.”

Estratégia

Guterres confirma que o número de mulheres nas missões de paz duplicou mas considera que é necessário ir mais longe porque  é “inaceitável que, em 2019, apenas 4% de nossos militares sejam mulheres.”

Para tal, anunciou que vai apresentar em breve ao Conselho de Segurança uma estratégia para aumentar o número de mulheres nas operações de paz.

Outra prioridade mencionada é o combate à exploração e abuso sexual por parte do pessoal que serve sob a bandeira da ONU.

Guterres referiu o exemplo de como as operações de manutenção da paz ajudaram países como a Libéria, Serra Leoa, Timor-Leste e Camboja a fazerem a transição de conflitos e paz e homenageou, com um momento de silêncio, os 27 soldados da paz que foram mortos por atos violentos em 2018.

Soluções

Guterres referiu o exemplo de como as operações de manutenção da paz ajudaram países como a Libéria, Serra Leoa, Timor-Leste e Camboja a fazerem a transição para a paz.Minusca

O subsecretário-geral para as Operações de Paz Jean-Pierre Lacroix, explicou como a ONU está a investir fortemente no avanço de soluções políticas e no desenvolvimento de estratégias regionais para manter o ímpeto nos processos de paz.

Lacroix deu o exemplo da República Centro-Africana, onde o garante que “acordo de paz alcançado em fevereiro com a ajuda da União Africana está a ter um progresso real.”

O responsável adiantou que as missões do Sudão do Sul e do Mali também estão a desempenhar um papel político essencial para sustentar e acelerar a implementação dos acordos de paz mas o responsável considera que há ainda muito a fazer para alcançar uma paz duradoura.

Lacroix, também destacou a ideia de que são necessários mais recursos para que as missões sejam mais “móveis e proativas” e que é necessário apostar na formação desafiando os Estados-membros “a firmarem parcerias para melhorar as capacidades das unidades onde for necessário.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Brasileira vence Prêmio de Defensora Militar do Gênero das Nações Unidas

Márcia Andrade Braga tem título de capitão de corveta e serve na Missão da ONU na República Centro-Africana; organização elogia “excelente exemplo” de atuação feminina na manutenção da paz.

Conselho de Segurança pede respeito ao resultado das eleições na Guiné-Bissau

País lusófono realizou eleições legislativas a 10 de março; órgão da ONU felicitou povo e governo pela realização de um escrutino pacífico e lembra necessidade de realizar eleições presidenciais ainda em 2019.