Venezuela: ONU apela a alívio de tensão política

14 janeiro 2019

Porta-voz do secretário-geral das Nações Unidas reitera que a recuperação do país depende dos próprios venezuelanos e instituições; é necessário buscar solução negociada pacífica que reforce governança democrática.

A reação do porta-voz do secretário-geral, Stéphane Dujarric, veio após perguntas de jornalistas na sede da ONU em Nova York sobre a detenção na Venezuela, durante algumas horas neste fim de semana, do presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó.

Depois de comentar que não sabia se Guaidó solicitou qualquer tipo de ajuda da ONU, Stéphane Dujarric disse que "os eventos durante o fim de semana, incluindo sua detenção temporária, destacam a polarização" que se vive na Venezuela.

O responsável, em nome da ONU, deixou o apelo para que todas as partes que “se abstenham de qualquer retórica ou ação que possa aumentar as tensões existentes” e reiterou a sua convicção de que “o caminho para a recuperação depende dos venezuelanos” e das “instituições do Estado”, incluindo a Assembleia Nacional.

Secretário-Geral

Dujarric acrescentou que o secretário-geral "segue de perto" a situação e "continua preocupado com o que está a ver" no país sul-americano.

Segundo notícias da região, o presidente da Assembleia Nacional foi preso neste final de semana por agentes do Serviço Nacional de Inteligência Bolivariano e libertado algumas horas depois.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU lança plano de emergência para refugiados venezuelanos

Plano coordenado por agências das Nações Unidas foi produzido por 95 organizações de 16 países que procuram responder a necessidades urgentes de milhares de refugiados e migrantes da Venezuela e comunidades de acolhimento.

 

Migrantes e refugiados da Venezuela chegam a 3 milhões

Brasil é o sexto país que acolhe mais venezuelanos, cerca de 85 mil; Colômbia tem mais de 1 milhão; Acnur prepara novo plano de resposta regional à crise.